Zen aposta em mais veículos com start-stop

Imagem ilustrativa da notícia: Zen aposta em mais veículos com start-stop

Brusque, SC – A fabricante de autopeças Zen antevê oportunidades de negócios no campo da eficiência energética com a nova política para o setor automotivo, o Rota 2030, divulgado no começo do mês.

 

Embora o plano ainda careça de regulamentações e definições, o presidente da companhia, Gilberto Heinzelmann afirmou à AutoData na quinta-feira, 19, que acredita que, assim como aconteceu com o motor três cilindros à época da vigência do Inovar-Auto, as fabricantes de veículos recorrerão à aplicação do sistema start-stop em veículos produzidos aqui como forma de se alcançar os patamares de eficiência exigidos pelo Rota 2030 – que, ainda, não foram estabelecidos.

 

Segundo ele, há grandes possibilidades de a empresa obter crescimento em volume de vendas no curto-prazo com a oferta de componentes para esse sistema, o que já acontece atualmente tanto para o mercado de automóveis OEM, por meio dos clientes sistemistas, como para reposição:

 

“Evidente que o Rota 2030 contemplou o segmento de autopeças mais do que a útlima política. Mirando à frente, o que esperamos é nos consolidarmos como fornecedor de peças para um sistema que deve ditar a nova tendência de eficiência energética em veículos nacionais”.

 

Nos Estados Unidos, principal mercado em termos de volume devido a contratos com a Ford e General Motors, a empresa já fornece conjunto para motor de partida específico para veículos que possuam sistema start-stop: “No Brasil e demais mercados os componentes chegarão em breve. O mais importante é que o produto existe e é fabricado no País”.

 

Caso o cenário traçado pela empresa se confirme, a demanda pelos componentes dará mais musculatura a uma operação que já se encontra acima do padrão visto no segmento de autopeças: a produção mantida em fábrica instalada em Brusque, SC, trabalha em três turnos com cerca de 1 mil funcionários para atender, sobretudo, aos pedidos do mercado externo.

 

Heinzelmann disse que o desempenho comercial visto no primeiro semestre do ano fez com que a companhia revisasse o ritmo de crescimento para 2018. Se em 2017 a projeção para o ano era de faturamento 20% maior na comparação anual, em julho o prognóstico é de que a receita em 2018 cresça 30% por causa dos “novos mercados e lançamentos anunciados para o período”.

 

Atualmente, dentre os veículos produzidos aqui, estão equipados com o sistema start-stop os modelos Fiat Argo e Uno, os Renault Logan e Sandero, e os Jeep Compass e Renegade.

 

Foto: Divulgação.