Caoa Chery busca nacionalizar 520 componentes

Imagem ilustrativa da notícia: Caoa Chery busca nacionalizar 520 componentes
CompartilheMontadora
14/02/2019

Cabreúva, SP – A Caoa Chery ampliou seu plano de nacionalização de peças e componentes: os cerca de quatrocentos itens subiram para 520, segundo Marcio Alfonso, seu CEO.

 

Além de reduzir a dependência do câmbio, Alfonso disse que localizar a compra dos componentes diminui, também, o tempo de entrega: “Uma peça importada demora noventa dias para chegar à fábrica, enquanto uma nacional requer quinze. Por isto quanto mais componentes nacionais tiverem os nossos veículos melhor para a produção e para nossos serviços de pós-vendas”.

 

Segundo Alfonso o foco inicial será em itens que a montadora usará com mais frequência no pós-vendas, caso dos filtros e pastilhas de freios que precisam ser trocados nas revisões programadas. “Depois desses itens, avançaremos na nacionalização de outros componentes que fazem parte do motor e da iluminação dos carros”.

 

A companhia já tem aproximadamente 180 itens nacionais, caso do sistema de injeção usado no Tiggo 7, que foi desenvolvido pela Bosch no Brasil, e de componentes de outras empresas, como Michelin e Pirelli. No total cerca de cinquenta fornecedores da Caoa Chery já são nacionais e a expectativa é que esse número cresça até 2020, junto com a nacionalização das peças.

 

A empresa trabalha também na rede: o objetivo de Alfonso é ter mais de 110 concessionárias este ano, ante as 65 unidades que já estavam abertas em 2017. Outro investimento da Caoa Chery é no treinamento de alguns funcionários para serem especialistas nos produtos da marca, com todo conhecimento necessário para atender aos clientes -- cada concessionária terá dois especialistas.

 

Foto: Divulgação.