Aumento da produção é a boa notícia da Anfavea

Imagem ilustrativa da notícia: Aumento da produção é a boa notícia da Anfavea
CompartilheBalanço da Anfavea
11/03/2019

São Paulo – A melhor notícia anunciada pelo presidente da Anfavea, Antonio Megale, na sua reunião com a imprensa em que foi divulgado o balanço de fevereiro e do primeiro bimestre, na segunda-feira, 11, foi o crescimento de 20% no ritmo das linhas de produção no mês passado, comparado com fevereiro de 2018. Foram produzidos 257,2 mil automóveis, comerciais leves, caminhões e chassis de ônibus no mês, o melhor volume para fevereiro desde 2014.

 

Apesar do fato de fevereiro do ano passado ter tido carnaval, feriado que, este ano, ocorreu em março, Megale comemorou a aceleração das linhas: “As empresas estão apostando em um mercado brasileiro com volumes altos nos próximos meses. Comparado com janeiro o avanço foi de 30%. É a melhor notícia do dia”.

 

No bimestre saíram das linhas de montagem 455,3 mil veículos, resultado 5,3% superior ao dos primeiros dois meses do ano passado – e reverteu o recuo de 10% de janeiro comparado com janeiro de 2018. As projeções da Anfavea para o ano indicam crescimento de 9%: “Manteremos as estimativas. Somente após o desempenho do primeiro quadrimestre é que poderemos ter uma ideia mais clara de tendência”.

 

O saldo de empregos ficou positivo, com 514 postos de trabalho criados no mês passado. Segundo Megale oitenta trabalhadores em lay off retornaram às linhas em fevereiro – agora a indústria mantém, no total, 696 pessoas em lay off.

 

O presidente da Anfavea considerou positiva, também, a iniciativa do governo do Estado de São Paulo de criar o IncentivAuto, programa que promete desconto em ICMS para montadoras que investirem, ao menos, R$ 1 bilhão no Estado. Mas, segundo ele, o problema da indústria, no curto prazo, permanece o mesmo.

 

“Toda redução de carga tributária é bem-vinda. O Brasil tem problema de competitividade e impostos mais baixos são positivos. Mas não resolve o problema de crédito acumulado de ICMS que o Estado de São Paulo tem que repassar às empresas”.

 

Megale disse que o programa foi uma iniciativa do governo do Estado e que a Anfavea, embora soubesse de suas intenções, não participou das discussões. Ressaltou, também, que a equipe econômica do Estado “está sensível” com a questão do crédito acumulado de ICMS e mantém portas abertas para o diálogo em busca de soluções.

 

O decreto do IncentivAuto foi publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo do sábado, 9. Restam ainda algumas definições que, possivelmente, serão publicadas em portarias nas próximas semanas.

 

Foto: Divulgação.