Nem a produção se salvou no trimestre argentino

Imagem ilustrativa da notícia: Nem a produção se salvou no trimestre argentino

São Paulo – O mercado argentino de veículos segue o seu calvário com a queda nos principais indicadores no primeiro trimestre do ano. Na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, caíram as exportações, as vendas e a produção, segundo dados divulgados pela Adefa na quinta-feira, 4.

 

De acordo com o levantamento da entidade que representa as fabricantes locais, a produção de veículos no período foi de 76 mil 692 unidades, o que representa queda de 30,7% ante o resultado registrado em igual período no ano passado.

 

Do total que saiu das linhas argentinas no trimestre, 30 mil 722 unidades foram de automóveis. O volume foi 48% menor do que o produzido no mesmo trimestre de 2018. A produção de veículos utilitários chegou a 45 mil 970 unidades, 10,3% a menos.

 

A produção menor é reflexo de desaquecimento na demanda interna, o que pode ser visto no desempenho comercial naquele país. Até março, as vendas aos concessionários, que involve veículos nacionais e importados, chegaram a 94 mil 150 unidades, 56,8% a menos.

 

Nas exportações, a queda trimestral foi de 48% na comparação com igual trimestre de 2018, chegando a 47 mil 919 unidades. O principal destino dos veículos argentinos foi o Brasil, que representou 65,8% dos embarques. Dos fábricas argentinas chegaram no País 31 mil 521 unidades. 8 mil 723 unidades menos.

 

No que diz respeito às demais regiões, países da América Central, exceto México, receberam 3 mil 891 unidades de veículos produzidos na Argentina, 229 unidades menos. O Peru recebeu 3 mil 406 unidades até março, 262 unidades a mais. Chile e Colombia fecham o grupo dos cinco principais destinos.

 

Foto: Divulgação.