GM: exportações na casa das 400 mil unidades este ano.

Imagem ilustrativa da notícia: GM: exportações na casa das 400 mil unidades este ano.
CompartilheSeminário AutoData
25/06/2019

São Paulo – A Anfavea ainda divulgará a revisão de suas perspectivas de vendas, produção e exportações. Ao menos nas exportações, dentre as montadoras de automóveis a General Motors tem o seu parecer em termos de volumes. De acordo com Marcos Munhoz, vice-presidente da operação brasileira, a nova expectativa é a de que o mercado registre até 400 mil embarques. A projeção inicial da indústria apontava para as 590 mil unidades.

 

O executivo apontou a crise argentina como fator responsável pela queda durante sua palestra no Seminário AutoData Revisão das Perpectivas 2019, organizado na terça-feira, 25, no Milenium Centro de Convenções, em São Paulo, SP. No entanto, enfatizou que a indústria precisa olhar para o futuro e buscar novos mercados para que não haja dependência de um único parceiro comercial. A solução de longo-prazo, apontou Munhoz, é a reforma tributária e consequente aumento da competitividade do carro brasileiro na América Latina:

 

“Se exporta muito pouco para mercados como Equador, Colômbia, Chile, Peru e Paraguai, países que, juntos, poderiam ajudar a indústria a reverter as perdas na Argentina. Isso ainda não acontece porque ainda se exporta muito imposto daqui, e o veículo produzido no País perde a competitividade para outros que são produzidos em mercados mais enxutos em termos carga tributária”.

 

O executivo citou exemplos como México, que exporta 0,3% de tributos, Coreia do Sul e China, ambas com 2%. O Brasil, segundo panorama apresentados por Munhoz, exporta por volta de 15% da carga tributária que incide sobre produção e vendas de veículos no País.

 

Imagem ilustrativa da notícia: GM: exportações na casa das 400 mil unidades este ano.

 

Com um cenário propício para a busca de novos mercados como reação às perdas na Argentina, a Volkswagen acredita que é possível aumentar seus volumes ao Exterior em 3%. Antonio Megale, seu diretor de assuntos governamentais, disse que a empresa espera exportar este ano mais do que no ano passado “apesar do cenário desafiante que a indústria automotiva está enfrentando”.

 

Nas contas da montadora, este ano deverá exportar 115 mil unidades. Em 2018 foram 112 mil unidades. Com a aprovação da reforma, a VW espera que o ano termine com vendas na casa das 2,8 milhões de unidades.  

 

Foto: Christian Castanho.