Concessionárias argentinas pedem manutenção de descontos

Imagem ilustrativa da notícia: Concessionárias argentinas pedem manutenção de descontos

São Paulo – As concessionárias argentinas pediram ao governo a manutenção do programa Juni0km, que concede desde o começo do mês descontos para venda de automóveis naquele mercado. De acordo com comunicado divulgado pela Acara, a associação que representa os concessionários argentinos, os resultados de vendas são positivos em junho graças ao programa e que em julho poderia ser melhor ainda porque o mês terá 21 dias úteis, quatro a mais do que junho.

 

A entidade informou no comunicado, ainda, que até 18 de junho o volume de veículos vendidos foi 25% maior do que na primeira quinzena de maio, o que poderia servir de argumento para continuação do programa setorial. Segundo suas diretrizes o consumidor tem desconto de 50 mil pesos argentinos na compra de veículos com preço de venda igual ou inferior a 750 mil pesos argentinos. Em vendas de valor superior a este o desconto é de 90 mil pesos argentinos, além da isenção de impostos federais.

 

Considerando a cotação do Banco Central na quinta-feira, 27, os descontos em reais seriam, respectivamente, de R$ 4 mil 486 e R$ 8 mil 75.

 

À época do lançamento do programa, em 4 de junho, a expectativa do Ministério da Produção e Trabalho daquele país era a de que haveria revitalização do mercado interno. Ainda que os número aferidos na quinzena pela Acara tenham apresentado crescimento o volume vendido até 25 de junho, no entanto, apresentou queda.

 

Segundo dados da Acara divulgados pela publicação Autoblog, as vendas chegaram a 24 mil 678 unidades até aquele dia, 1% a menos na comparação com igual período em maio e 47,4% a menos na comparação com o mesmo período em junho do ano passado.

 

Segundo o ministro da Produção e Trabalho, Dante Sica, a ideia do Juni0km era revitalizar o mercado interno enquanto o governo busca medidas para ampliar as exportações. As montadoras locais estão investindo para ampliar as vendas externas, mas a maior parte dos projetos começará a sair das linhas em 2020 e 2021 – por isso o cuidado do ministério em reforçar o mercado doméstico e garantir volumes para o período atual.

 

As vendas de veículos zero quilômetro na Argentina, de janeiro a maio, amargaram retração de 51% com relação aos cinco primeiros meses do ano passado. Em maio foram comercializados 36,6 mil automóveis, comerciais leves, caminhões e chassis de ônibus, volume 56% inferior ao do mesmo mês de 2018. No acumulado do ano a queda é de 51,1%, com 213 mil 271 veículos comercializados.

 

Foto: Divulgação.