O primeiro híbrido nacional. E o primeiro híbrido flex do mundo.

Imagem ilustrativa da notícia: O primeiro híbrido nacional. E o primeiro híbrido flex do mundo.
CompartilheLançamento
03/09/2019

São Bernardo do Campo, SP – Dentro do capô do Toyota Corolla Altis trabalham, ao lado de um motor 1.8 litro a combustão que permite abastecimento com etanol e a gasolina, dois motores elétricos conectados ao sistema de tração e a uma bateria. A tecnologia híbrida não é exatamente uma novidade na indústria automotiva global, mas o sedã produzido pela Toyota em Indaiatuba, SP, é o primeiro made in Brazil equipado com o sistema.

 

O porém é que nada – nem o motor a combustão ou os elétricos, tampouco a bateria e até mesmo o sistema flex – é feito no Brasil, como contou o vice-presidente de compras e engenharia, Celso Simomura: “Para produzir localmente é preciso mais volume”.

 

Por este motivo, também, pouco precisou ser ajustado na fábrica para deixá-la apta a produzir um modelo híbrido – as alterações, que consumiram em torno de R$ 1 bilhão, foram feitas majoritariamente para introduzir a plataforma GA-C, baseada na filosofia TNGA, sigla em inglês para Nova Arquitetura Global Toyota, nas linhas de Indaiatuba. Para esta versão híbrida, disponível apenas no catálogo Altis, topo de linha, é projetada uma demanda mensal por 1 mil unidades.

 

Imagem ilustrativa da notícia: O primeiro híbrido nacional. E o primeiro híbrido flex do mundo.

 

O motor 1.8 da versão híbrido flex entrega 101 vc, enquanto os elétricos garantem 72 cv – mas o desempenho não pode ser medido pela simples soma das potências, pois os elétricos atuam também na recarga da bateria.

 

Simomura calcula que 60% dos componentes do Corolla híbrido flex são produzidos por fornecedores locais, índice inferior ao das versões dotadas de propulsão a combustão – nele, chega a 70%, graças à produção do Dynamic Force 2.0 em Porto Feliz, SP.

 

O Corolla Altis versão híbrido flex diferencia-se do modelo a combustão pelo logotipo em azul nas grades dianteira e na tampa do porta-malas. Vem com kit multimidia compatível com os sistemas Apple Carplay e Android Auto, rodas de liga leve com 17 polegadas, sistema de partida com botão, farol de neblina e faróis e lanternas em LED, ar-condicionado digital, bancos em couro e o pacote de sistemas de segurança Toyota Safety Sense, por R$ 124 mil 990. Há a opção de adquirir um pacote premium que acrescenta teto solar, acabamento interior em duas cores, sensor de chuva, ar-condicionado dual zone e ajuste elétrico do banco do motorista, por R$ 6 mil.

 

Além da garantia de fábrica de cinco anos para o modelo a Toyota oferecerá aos consumidores oito anos de garantia para o sistema híbrido.

 

Foto: Divulgação.