Produção segue em alta, apesar da Argentina

Imagem ilustrativa da notícia: Produção segue em alta, apesar da Argentina
CompartilheBalanço da Anfavea
07/10/2019

São Paulo – A produção brasileira de automóveis, comerciais leves, caminhões e chassis de ônibus chegou a 2 milhões 258 mil 388 unidades no acumulado do ano até setembro, resultado que representa alta de 3% ante igual período do ano passado. Não fossem demanda interna aquecida, e mais exportações para Colômbia, México e Peru, o resultado porcentual divulgado pela Anfavea na segunda-feira, 7, poderia ter sido inferior.

 

Isso porque, disse o presidente Luiz Carlos Moraes, a combinação dos dois fatores ajudou a manter as linhas com produção crescente apesar da diminuição drástica das exportações à Argentina: “O mercado interno e os resultados em outros países da América Latina estão ajudando a indústria a manter um ritmo um pouco maior do que o visto no ano passado. Não fosse isso já estaríamos percebendo certa desaceleração”.

 

O volume produzido em setembro, 247 mil 333 unidades, embora seja 11% maior do que o registrado em setembro de 2018, representa uma nova queda depois de dois meses de crescimento consecutivos: julho, com 267 mil unidades, e agosto, com 269,8 mil unidades, esse o melhor resultado do ano até agora. Segundo o presidente da Anfavea, o ritmo deverá ser esse ao longo do quarto trimestre, consolidando 2,8 milhões de unidades produzidas no ano.

 

Imagem ilustrativa da notícia: Produção segue em alta, apesar da Argentina

 

A produção vista até aqui, ancorada no mercado brasileiro e em mais negócios na região latinoamericana, ajudou também a indústria a manter o nível de emprego nas fábricas instaladas no País, disse Moraes: “Algumas montadoras promoveram ajustes na produção para se adequarem ao atual cenário do mercado, mas o nível está praticamente o mesmo do que temos visto ao longo do ano”.

 

De acordo com os dados da Anfavea até setembro havia um total de 127 mil 938 funcionários nas fábricas, incluindo os das fabricantes de máquinas agrícolas. O total representa 3,4% a menos do que em setembro do ano passado. Em agosto, o quadro era formado por 128 mil 153 funcionários.

 

Separando por segmento, a produção de automóveis no acumulado do ano cresceu 3,5% ante o janeiro-setembro do ano passado, chegando a 1 milhão 876 mil 707 unidades. No caso dos comerciais leves, no mesmo período, houve recuo de 3%, com 272 mil 446 unidades produzidas.

 

No caso dos caminhões, saíram das linhas até setembro 87 mil 452 unidades, alta de 13%. Os pesados seguem representando a força motriz do segmento em termos de produção, sendo o único que apresentou produção positiva na comparação com os volumes fabricados nos nove meses de 2018: até setembro foram produzidas 48 mil 318 unidades, alta de 39%. A produção de ônibus, por fim, caiu 5,5%.

 

Foto: Divulgação.