Volvo prepara seu segundo passo na eletrificação de caminhões

Imagem ilustrativa da notícia: Volvo prepara seu segundo passo na eletrificação de caminhões
CompartilheTecnologia
11/12/2019

Gotemburgo, Suécia – Além dos caminhões para carga de 16 a 27 toneladas 100% elétricos que já estão sendo encomendados na Europa, a Volvo realizou uma prova de condução com os protótipos dos veículos pesados que ainda não têm data para serem lançados, mas estão bem próximos do mercado.

 

Esses dois modelos são parte do segundo passo da Volvo no caminho da eletrificação. Roger Alm, presidente da empresa, abriu o evento – que também contou com palestras sobre a visão da Volvo para o futuro do transporte – afirmando que, sem a contribuição de todos, sociedade, governos e empresas, não será possível atingir as ambiciosas metas de redução das emissões.

 

“O crescimento da eletrificação traz grandes desafios que vão além da tecnologia. O fornecimento de energia e os pontos de carregamento precisam acompanhar o aumento da demanda dos veículos elétricos. Por isso é preciso que a infraestrutura dos parceiros estatais e privados estejam prontas para a distribuição. Ao mesmo tempo fortes incentivos financeiros precisam ser criados para que os novatos se juntem aos pioneiros desse setor”.

 

Imagem ilustrativa da notícia: Volvo prepara seu segundo passo na eletrificação de caminhões

 

O transporte regional e as operações em construção serão o foco desses protótipos. A aposta é na facilidade da utilização dos caminhões, no alto desempenho da propulsão elétrica e no conforto de trabalhar horas a fio sem os ruídos típicos de um motor a combustão interna.

 

Durante o test drive em circuito controlado percebeu-se esse diferencial: o motorista está imune a qualquer incômodo com o motor elétrico, que não emite ruído nem vibrações. A aceleração, mesmo numa composição totalmente carregada e em subida, é direta e imediata. E o uso do que hoje é conhecido como freio motor traz outros benefícios além de controlar o veículo nas descidas: ele regenera a bateria.

 

Porém, as operações de transportes rodoviários de média distâncias ainda estão sob a ameaça de um inimigo silencioso: a falta de infraestrutura para abastecimento das baterias. Nem mesmo na Europa há uma direção firme dos atores capazes de prover o setor de transportes de estações para carregamento dos futuros caminhões elétricos. E, pela primeira vez uma fabricante coloca na mesa de discussões qual a matriz que gerará a energia elétrica necessária para ser utilizada no segmento de transportes. Será limpa ou de fonte que trará mais problemas para o desafio do aquecimento global?

 

Mesmo assim as fabricantes estão certas que o futuro será elétrico, mesmo que as outras fontes de energia convivam em alguns mercados específicos, como o Brasil.

 

Mas as notícias sobre a chegada de um caminhão Volvo elétrico não são animadoras. Roger Alm está confiante nos produtos e na estratégia que a Volvo está traçando para o futuro: “Estamos lançando essa ofensiva na Europa e no ano que vem também entraremos nos Estados Unidos com caminhões elétricos. Depois disso veremos como será o interesse de outros mercados”.

 

Sobre o Brasil o presidente global da marca sueca manda um recado: “Estou extremamente contente com os resultados da operação no Brasil e na América do Sul. Por favor, mande minhas congratulações a todos envolvidos em nossos negócios”.

 

Fotos: Divulgação.