Argentina fecha 2019 com queda de 32% na produção

Imagem ilustrativa da notícia: Argentina fecha 2019 com queda de 32% na produção
Foto Jornalista  Bruno de Oliveira

Por Bruno de Oliveira

CompartilheBalanço
09/01/2020

São Paulo -- A indústria argentina de veículos observou, em dezembro, todos os seus indicadores -- produção, vendas e exportações -- apontarem para baixo, consolidando um 2019 marcado por grave crise que gerou reflexos internos e em outros mercados, como o brasileiro. Esta semana a Adefa, a associação das fabricantes argentinas, apresentou os resultados finais que dão a dimensão de como foi terrível seu desempenho no ano passado.

 

Os números mostraram que a produção no acumulado do ano recuou 32,5% na comparação com o volume produzido em 2018, somando 314 mil 787 veículos. Em dezembro saíram das linhas argentinas 14 mil 524 unidades, 30% a menos do que em dezembro de 2018. Foi o segundo pior mês de produção no ano passado, perdendo apenas para janeiro, quando foram produzidas 14 mil 803 unidades.

 

O volume menor no fim do ano é justificado pelas paradas comuns que acontecem em época de quase férias. No entanto é possível associar o desempenho negativo na comparação anual à redução da capacidade instalada: a Honda, por exemplo, encerrou a produção no país e a Iveco estabeleceu lay-off na fábrica que mantém em Córdoba. Ambos os episódios ocorreram no segundo semestre.

 

Do total produzido no ano passado 108 mil 364 unidades foram de automóveis, resultado que representa recuo de 48% ante o volume produzido em igual período em 2018. 206 mil 423 unidades foram de utilitários, resultado 20% menor do que o de 2018.

 

As vendas aos concessionários realizadas em dezembro somaram 31 mil 151 unidades, revertendo um perfil de queda que vinha desde o início do último trimestre. No entanto o desempenho, ou respiro, foi insulficiente para compensar as perdas ao longo do ano e o resultado consolidado acabou sendo 45,5% menor do que o de 2018, somando 372 mil 474 unidades vendidas às redes.

 

Por segmento, as vendas aos concessionários foram divididas em 282 mil 299 unidades de automóveis, queda de 47%, e 90 mil 175 unidades de veículos utilitários, queda de 39%.

 

A exportação de veículos fabricados na Argentina, por fim, encerraram o ano em queda de 16,7% na comparação com o volume embarcado em 2018. Foram 224 mil 248 veículos, 67% dos quais tiveram como destino o Brasil. América Central, Peru e Chile, nessa ordem, foram outros mercados para onde seguiu volume considerável de veículos.

 

Foto: Divulgação.