América do Sul deixará de produzir mais de 200 mil veículos

Imagem ilustrativa da notícia: América do Sul deixará de produzir mais de 200 mil veículos
Foto Jornalista  André Barros

Por André Barros

CompartilheCovid-19
24/03/2020

São Paulo – As fábricas de veículos da América do Sul deixarão de produzir ao menos 200 mil veículos com as paralisações anunciadas em decorrência do coronavírus. A reportagem da Agência AutoData teve acesso ao documento de uma consultoria que, com base no volume produzido em fevereiro, desenhou uma estimativa de impacto.

 

O volume é significativo: em fevereiro saíram das linhas de montagem brasileiras 204,2 mil veículos, segundo informou a Anfavea. Na Argentina outras 26,1 mil unidades, de acordo com a Adefa. E a expectativa para março, com mais dias úteis, era de aceleração nas linhas – até porque importantes lançamentos estavam na agenda das empresas.

 

Parte desta produção perdida poderá ser recuperada após o retorno à vida normal, com horas extras e trabalhos aos sábados, por exemplo. Mas isso vai depender do desempenho do mercado – e, segundo um relatório divulgado pela Bright Consulting na semana passada, dificilmente deverá ser animador: “A busca pela recuperação futura da produção perdida está fora do radar neste momento”.

 

A Bright projeta queda de 3% nas vendas de automóveis e comerciais leves na comparação com 2019, para 2,6 milhões de unidades, e recuo de 4% na produção, alcançado 2 milhões 670 mil veículos leves produzidos – contabiliza aí, também, impacto das exportações menores.

 

O presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, anunciou que a entidade deverá mexer nas suas projeções para o ano, que indicam crescimento próximo a 10%. A Anfavea estima alta de 9,4% nas vendas e de 7,3% na produção.

 

Foto: Divulgação.