Exportações registram outro recorde histórico

Imagem ilustrativa da notícia: Exportações registram outro recorde histórico
CompartilheBalanço da Anfavea
05/10/2017

As exportações de veículos seguem quebrando recordes: foram 566 mil 266 unidades de janeiro a setembro, superando o maior volume da história nesse período, que foi em 2005, quando o Brasil exportou 547 mil veículos, segundo dados divulgados pela Anfavea, nesta quinta-feira, 5. Comparando o acumulado do ano com o mesmo período de 2016, quando foram exportadas 363 mil 684 unidades, houve crescimento de 55,7%.

 

Em setembro foram exportadas 60 mil 49 unidades contra 39 mil 461 no mesmo mês do ano passado, aumento de 52,2%. Na comparação com agosto, queda de 10,1%, quando foram negociados 66 mil 792 veículos com outros países.

 

Rogelio Golfarb, vice-presidente da Anfavea, creditou o aumento das exportações ao crescimento dos países que compram do veículos do Brasil e a estabilidade cambial: “Tivemos uma combinação de fatores que levaram a esse aumento, como o crescimento das vendas nos países que estamos presentes, principalmente na Argentina, que corresponde por 70% das exportações, a estabilidade cambial que o Banco Central tem mantido e o câmbio favorável”.

 

Com relação aos principais mercados compradores de veículos do Brasil no acumulado do ano, a Argentina é a maior cliente, com 395 mil unidades negociadas, contra 279 mil no acumulado de 2016. O México é o segundo da lista com 69 mil unidades compradas este ano, contra 53 mil no ano passado, seguido pelo Chile, que importou 26 mil unidades em 2017 e 12 mil no mesmo período de 2016.

 

O quarto maior mercado de exportação brasileira é o Uruguai, que comprou 23 mil unidades este ano, contra 11 mil no ano passado, enquanto a Colômbia importou 16 mil veículos de janeiro a setembro, contra 12 mil em 2016. Vale lembrar que os veículos exportados para a Colômbia ainda pagam, aproximadamente, 16% de imposto pois o acordo comercial com o Brasil ainda não está valendo: “Está assinado, porém, por conta do processo de internalização ainda não tem previsão para entrar em vigor”, disse Golfarb. As exportações para o Peru saíram de 3,9 mil veículos de janeiro a setembro do ano passado, para 12 mil unidades este ano.

 

Sobre o futuro das exportações, um dos desafios do Rota 2030 será aumentar o nível de tecnologia das fábricas no Brasil, a fim de tornar os veículos nacionais competitivos em novos mercados, como Estados Unidos e Europa.

 

Foto: divulgação