Librelato projeta crescimento de 15%

Imagem ilustrativa da notícia: Librelato projeta crescimento de 15%

Após a forte retração nas suas produção e receita em 2015 e 2016 a Librelato, fabricante de implementos rodoviários de Içara, SC, projeta crescimento de 15% para o ano que vem. Para seu CEO, José Carlos Spricigo, o emplacamento de veículos rebocados girará de 28 mil a 30 mil unidades. Para ele haverá liquidez no mercado, resultado da queda de juros, que também influenciará na busca de outras formas de financiamento, como CDC e leasing.

 

“Estes produtos estarão, em 2018, ainda mais competitivos.”

 

Ele também confirmou, durante encontro com jornalistas na Fenatran, aporte de US$ 15 milhões até 2022. No curto prazo serão investidos US$ 2,5 milhões na ampliação da fábrica de Içara 2 em mais 7,5 mil m². Também há investimento para a aquisição de gabaritos automatizados e robôs para solda mig, medida que repercutirá em ganhos de produtividade. Spricigo anunciou para 1º de novembro a reabertura da unidade de Içara 1, fechada em função da reestruturação do grupo para fazer frente à crise. A medida deverá resultar na contratação de cem funcionários.

 

Os recursos visam a dar suporte ao plano de desenvolvimento de novos produtos e de fortalecimento de ações no mercado externo, que deverá responder por 15% a 20% da receita da empresa – atualmente a participação é de 10%. Paraguai, Chile, Bolívia e Uruguai, hoje os principais mercados da marca, deverão ganhar a companhia, no futuro, de Argentina, Peru e países do continente africano.

 

Em razão da crise a Librelato concentrou suas operações na cidade de Içara, agora também matriz do grupo. Em Orleans, onde ficava a sede central, a estrutura é ocupada quase que exclusivamente pela Libremac, joint-venture da empresa com a italiana Themac, fabricante de equipamentos para coleta de lixo.

 

Na Fenatran a empresa apresenta o contêiner metálico para resíduos de 3,2 m³, o coletor compactador Optimus e a plataforma auto-socorro.

 

Spricigo disse que este segmento, embora de grande potencial, passa por momento de dificuldades. A principal é a alta inadimplência das prefeituras com as empresas que atendem à atividade de coleta e compactação do lixo. Levantamento da entidade que representa o setor aponta dívida das prefeituras de R$ 15 bilhões.

 

Dentre as novidades expostas pela Librelato o diretor comercial Pedro Bolzoni citou o modelo graneleiro, totalmente remodelado e que ganhou características premium. Com caixa mais leve e resistente o equipamento tem peso 7% menor: 7,7 mil quilos. A Librelato ainda lançou rodotrem canavieiro com capacidade de carga de 91 toneladas, produto que faltava em seu mix.

 

Também ingressou na linha de equipamentos para cargas frigorificadas, com os modelos paleteiro e gancheiro. A meta é entregar cerca de vinte unidades mensais a partir de 2018. O quarto lançamento é o tanque inox com tecnologia embarcada: segundo Bolzoni é o mais leve do mercado, mas com maior capacidade de transporte, de 47 mil litros, 5% a mais do que os concorrentes.

 

Fotos: Divulgação