Rota 2030: a saga para sair do papel

Imagem ilustrativa da notícia: Rota 2030: a saga para sair do papel

Um dos temas mais recorrentes nas discussões dentro do setor automotivo, o Rota 2030, a política industrial que substituirá o Inovar-Auto a partir de janeiro, movimentou toda a cadeia produtiva em torno de sua concepção. Definidas as diretrizes pelas diversas frentes, um diálogo que reuniu à mesa fabricantes, autopeças e uma comissão técnica formada por engenheiros, em meados de junho, o documento seguia para a última e dramática parte do processo de aprovação, o qual já vinha se estendendo desde agosto – passar pelo crivo da Fazenda não seria fácil.

 

A meta orçamentária planejada pelo governo para o ano que vem se mostrou conflitante com as pretensões da indústria em termos fiscais. De um lado, o setor favorável à manutenção das bases do Inovar-Auto, que previa sobretaxar em 30 pontos porcentuais às empresas que não atingissem metas de eficiência energética. Do outro, o Estado irredutível em conceder renúncias fiscais e, assim, deixar de arrecadar tributos. O entrave chegou a contar com a mediação do presidente em sua reta final, no último trimestre, quando o setor, por meio da Anfavea, afirmou que o Rota 2030 sairia do papel por meio de uma medida provisória. O que se sabe, por ora, é que falta a assinatura do Executivo em Brasília para reger o setor automotivo pelos próximos 15 anos.

 

Confira abaixo, em ordem cronológica, as principais notícias que AutoData publicou sobre o tema em 2017:

 

- Rota 2030 substituirá Inovar-Auto

- Política específica para autopeças está prevista na cartola do Rota 2030

- Híbridos receberão incentivos do governo via Rota 2030

- Rota 2030 também será utilizada por outros setores industriais

- Governo teme queda da arrecadação de impostos com Rota 2030

- Acordo com EU pode inviabilizar Rota 2030

- Setor automotivo aguarda definição sobre Rota 2030

- Fazenda e indústria rediscutem o Rota 2030

- Fazenda reluta em aprovar Rota 2030

- Rota 2030: 15 dias para o final do ano e muitas incertezas

- Rota 2030: meta de eficiência energética será de até 12% em cinco anos

- Prazo para Rota 2030 nem é tão importante, diz Ioschpe

- Brasil e Argentina se comprometem a padronizar seus veículos

- Rota 2030, este ano, só terá marco legal