Vendas de máquinas agrícolas começam em queda

Imagem ilustrativa da notícia: Vendas de máquinas agrícolas começam em queda
CompartilheBalanço da Anfavea
06/02/2018

O agronegócio tem boas expectativas para este ano mas as vendas de máquinas agrícolas e rodoviárias, em janeiro, ficaram abaixo do esperado, com 1 mil 605 unidades comercializadas, contra 2 mil 637 no mesmo mês do ano passado, queda de 39,1%. Na comparação com dezembro a queda é ainda maior, 55,8%, segundo os dados divulgados pela Anfavea na terça-feira, 6.

 

De acordo com Antônio Megale, presidente da entidade, “os números ruins e abaixo do esperado são reflexo da suspensão temporária dos financiamentos feita pelo BNDES para realizar ajustes no sistema e, com isso, o setor teve apenas metade do mês para fechar os negócios”.

 

Outro fator com impacto negativo nas vendas foi à mudança no prazo de carência de catorze para doze meses, disse Alfredo Miguel Neto, vice-presidente da Anfavea:

 

“Esse foi um grande problema, pois o governo decidiu mudar sem avisar o setor e o produtor precisa se programar para comprar as máquinas e começar a pagar após a colheita e não antes. Com isso esses meses a menos atrapalham o planejamento e fazem toda a diferença. Pouco tempo depois o governo decidiu retornar para os catorze meses de carência, mas o setor já tinha sofrido impacto”.

 

Mesmo com baixo volume de vendas no começo do ano a Anfavea acredita que a projeção de crescimento de 3,7% será superada -- e a entidade até pretende revisar este número nos próximos meses, contou Miguel Neto: “Rentabilidade maior dos produtores, colheita sendo feita com alto nível de produtividade e índice de confiança muito positivo, com alta de 6,7%, são indícios de que fecharemos o ano muito bem. Estamos bastante otimistas”

 

A exportação foi um ponto positivo do segmento em janeiro, com 816 unidades embarcadas contra 424 no mesmo mês do ano passado, alta de 92,5%: “Deve-se esse resultado à maior estabilidade do mercado argentino e ao maior interesse de outros países da América do Sul, com o Colômbia, Paraguai, Peru e Uruguai, por máquinas mais tecnológicas que o Brasil produz”.

 

A produção também começou o ano bem, com 2 mil 623 unidades em janeiro, contra 2 mil 199 no mesmo mês do ano passado, alta de 19,3%. Na comparação com dezembro, 2 mil 603 máquinas, crescimento de 0,8%.

 

Plano Safra - O Plano Safra deste ano deve sair em junho e o setor espera que todos sejam contemplados, dos micros aos macros: “A expectativa é que o programa tenha um orçamento que suporte todos os produtores ao longo do ano”.

 

Há expectativas, também, com relação às taxas de juros, "que precisam ser repensadas para que todos tenham linhas de crédito com taxas acessíveis, para incentivar os investimentos".

 

Foto: Divulgação.