Aptiv: mercado OEM regional e exportação para 25 países.

Imagem ilustrativa da notícia: Aptiv: mercado OEM regional e exportação para 25 países.

Resultado de processo de spin-off da Delphi, a Aptiv iniciou sua operação de forma independente no País em janeiro e se estrutura pra atender as demandas da América Latina. A empresa atende ao mercado local de OEM fornecendo componentes eletrônicos e, segundo Paulo Santos, que ocupa o cargo de vice-presidente da companhia para América do Sul desde o começo de abril, está focada na operação na região e nas exportações para 25 países.

 

No exterior, a empresa tem se destacado por sua atuação no desenvolvimento de tecnologias voltadas ao veículos autônomos, uma realidade que o executivo considera ainda distante da realidade do mercado brasileiro. Por outro lado, aponta oportunidades de negócios envolvendo conectividade e segurança:

 

“O mercado brasileiro está em um momento de recuperação, e é quando podemos tirar as melhores oportunidades para conquistar novos negócios. Em termos de tecnologia, o Brasil está mais distante da direção autônoma do que outros países mais bem desenvolvidos, mas temos motoristas que buscam economia sustentável, conectividade e segurança ativa em seus veículos”.

 

Neste sentido, a Aptiv está focada não apenas nas demandas do mercado interno, mas também no exterior, sobretudo os países da América do Sul: “Neste momento, nossas operações estão focadas na região, mas aproveitamos as oportunidades. Hoje, exportamos produtos da região para parceiros de mais de 25 países em todas as regiões do mundo”.

 

Ainda que no Brasil o desenvolvimento de veículos autônomos é menos recorrente na comparação com a realidade experimentada nos Estados Unidos, na Europa e na Ásia, Santos disse que há disponibilidade aqui de alguns componentes ligados ao primeiro estágio de segurança ativa, que também faz parte dos sistemas dos carros autônomos: “Já está à disposição dos clientes no Brasil. Essas tecnologias para melhorar a segurança e a experiência do usuário no veículo já vêm sendo aplicadas nas plataformas do Brasil com os parceiros da Aptiv”.

 

Após a cisão da Delphi, a empresa opera na Brasil com uma estrutura composta por seis fábricas: Espírito Santo do Pinhal, Jambeiro e Jundiaí, em São Paulo. Conceição dos Ouros, Contagem e Paraísópolis, em Minas Gerais.

 

O executivo evitou pormenores sobre o número de funcionários no País e se houve expansão da capacidade produtiva para atender aos mercados regionais, mas sinalizou que há a possibilidade de acordo com o ritmo das vendas dos clientes: “Expandimos nossas unidades em termos de tecnologia e capacidade de produção de acordo com a demanda de nossos clientes”.

 

A Aptiv possui cerca de 147 mil funcionários ao redor do mundo, em 45 países e, afora as unidades produtivas que mantém no Brasil, tem uma fábrica instalada em Buenos Aires, Argentina, e uma sede administrativa em São Caetano do Sul, SP.

 

A Delphi finalizou a cisão de seu segmento de powertrain em duas empresas independentes de capital aberto em dezembro. Com isso, a Delphi PLC tornou-se a Aptiv PLC. A empresa que foi criada a partir do spin-off chama-se Delphi Technologies e segue independente da Aptiv.

 

Foto: Divulgação.