Média diária de vendas volta à faixa de 10 mil

Imagem ilustrativa da notícia: Média diária de vendas volta à faixa de 10 mil
CompartilheBalanço da Anfavea
06/06/2018

São Paulo - O desempenho das vendas de veículos retomou o ritmo registrado pelo mercado antes da greve dos caminhoneiros. Antônio Megale, presidente da Anfavea, disse na quarta-feira, 6, que a média diária de emplacamentos nos dois primeiros dias úteis voltou ao patamar das 10 mil unidades.

 

Durante a paralisação o mercado chegou a registrar média diária de 7 mil unidades, segundo apurou AutoData.

 

Com a paralisação, que interrompeu a produção de veículos por desabastecimento de peças, a entrega de veículos às concessionárias também ficou compremetida. Segundo balanço da entidade que representa as fabricantes houve retração de 7% nas vendas em maio na comparação com abril por causa da greve.

 

Megale disse também que a indústria não consegue contabilizar com precisão quantos veículos deixaram de ser vendidos no período, porém estipulou, considerando o ritmo de vendas imprimido nas semanas que atecederam a paralisação, que as perdas podem chegar a 25 mil unidades: “Conseguiremos recuperar as vendas no meses seguintes. O mais importante é que o mercado manteve o volume diário”.

 

A retração, por categoria, chegou a menos 8% nas vendas de automóveis e a 1,8% em comerciais leves. Das três empresas que lideraram o mercado de carros no País até maio – General Motors, Volkswagen e FCA – a GM foi a que registrou maior queda no comparativo comercial abril-maio: menos 8,7%. A Volkswagen viu as vendas cairem 1,5%. A FCA, por sua vez, registrou leve alta: 2,1% a mais do que em abril, em função do desempenho de venda dos modelos Jeep.

 

Na categoria de comerciais leves a situação da FCA, com os veículos Fiat, foi de retração das vendas de abril a maio, 8,5% a menos, chegando a vender 11 mil 832 unidades, o maior dentre todas as fabricantes que atuam no segmento. Na Volkswagen, queda de 5,9%, 5 mil 675 veículos. As vendas da GM cresceram 41,3% no período e atingiram 3 mil 984 unidades.

 

A greve, no entanto, não produziu reflexos no volume de vendas no resultado acumulado do ano, que segue crescente na comparação com os cinco primeiros meses de 2017. Até maio foram vendidos 964 mil 772 veículos, incluindo automóveis, caminhões e ônibus. O resultado representa um volume 17% maior do que o registrado no ano passado.

 

No segmento de veículos comerciais as vendas apresentaram retração, de abril a maio, de 8,7%. As maiores quedas registradas foram na venda de caminhões médios, menos 20,6%, e em pesados, menos 17,8%. A base baixa de comparação que constituiu o mercado de 2017, entretanto, fez com que a queda nas vendas não refletisse em quedas no desempenho anual de 2018.

 

Até maio foram vendidos 26 mil 323 caminhões no País, volume que representa alta de 52,7% ante os cinco meses do ano passado. Cenário igual no segmento de ônibus: até maio foram 4 mil 664 unidades, alta de 28%.

 

Foto: Divulgação.