Toyota acredita em alta nas exportações ano que vem

Imagem ilustrativa da notícia: Toyota acredita em alta nas exportações ano que vem
CompartilheCongresso AutoData 2019
16/10/2018

São Paulo – O vice-presidente executivo da Toyota, Miguel Fonseca, acredita que as vendas de automóveis e comerciais leves crescerão 4,4% no ano que vem, chegando a 2 milhões 630 mil unidades, ante 2 milhões 520 mil que a companhia calcula que serão vendidos esse ano.

 

Os números foram apresentados em palestra no segundo dia do Congresso AutoData Perspectivas 2019, em São Paulo, Capital, onde Fonseca afirmou que a expansão prevista representa a recuperação e a solidez dessa indústria.

 

Para a produção a expectativa da Toyota é que saiam das linhas 3 milhões 140 mil automóveis e comerciais leves no ano que vem, expansão de 4,1% na comparação com este ano, previsto em 3 milhões e 10 mil unidades. Com relação às exportações Fonseca acredita que chegarão a 797 mil unidades no ano que vem, alta de 4,8% na comparação com o volume deste ano, que deve ficar estável em 760 mil.

 

O executivo também falou sobre o crescimento da participação das vendas diretas no total comercializado, que em 2013 era de 25% e neste ano já chegou a 46%. No ano que vem esse tipo de venda também será responsável por puxar a alta do setor: a evolução dos negócios por esta modalidade será de 12,8% enquanto o varejo deverá subir apenas 3,4%, nos cálculos da fabricante.

 

No caso dos números particulares da Toyota as vendas em 2019 chegarão a 214 mil unidades, crescimento de 4,8% ante as 203 mil que a empresa espera vender até o final deste ano. A produção chegará a 224 mil automóveis no Brasil no ano que vem, alta de 6,7% na comparação com as 210 mil unidades que serão produzidas esse ano. “É necessário ressaltar que nossos números de vendas e produção serão recorde esse ano e, caso as projeções se confirmem, portanto, também o serão em 2019.”

 

A projeção para as exportações da companhia é de 78 mil unidades no ano que vem, expansão de 19,5% na comparação com este ano, previsto em 65 mil unidades até o fim do ano – ambas igualmente serão recordes caso atingidas.

 

E para o PIB mais uma projeção otimista: 3,2% ante 1,4% deste ano.

 

Fotos: Rafael Cusato.