M-B terá nova estrutura operacional no Brasil em 2020

Imagem ilustrativa da notícia: M-B terá nova estrutura operacional no Brasil em 2020

São Bernardo do Campo, SP – A Mercedes-Benz articula nova estrutura da sua operação no Brasil e na América Latina. Segundo planejamento global da Daimler, controladora da empresa, o modelo atual, centralizado no comando de um CEO, dará lugar a outro formado por três divisões atuando de forma independente no País, cada uma sob a batuta de um gestor: caminhões e ônibus, automóveis e vans e um braço financeiro.

 

A divisão de caminhões e ônibus adotaria o nome Daimler. Carros e vans ficariam com a marca Mercedes-Benz. Philipp Schiemer, presidente e CEO na América Latina, disse na terça-feira, 4, que este modelo já funciona de certa forma dentro da companhia na região, e que alguma diretrizes estão sendo acrescentadas pela matriz de forma a padronizar o modelo em todas as unidades: “O objetivo é de que, uma vez independentes, as três empresas possam ser mais eficientes atuando desta forma”. O executivo não sabe qual função exercerá na nova estrutura.

 

O planejamento foi batizado de Project Future e foi aprovado pelo conselho de administração das Daimler. Ainda precisará passar pelo crivo dos acionistas na assembleia que realizarão em 2019.

 

Na nova estrutura, a divisão de automóveis e vans passaria a ter 175 mil funcionários no mundo, enquanto a divisão Daimler de caminhões e ônibus terá cerca de 100 mil. Já juridicamente independente, a Daimler Financial Services será chamada Daimler Mobility no futuro. Com seus cerca de 13 mil funcionários, a divisão hoje já representa serviços de mobilidade dentro do grupo. Segundo Schiemer, esta área de serviços ficará de fora da operação brasileira.

 

A Daimler, a empresa-mãe, exercerá funções de governança corporativa, estratégia e gerenciamento e fornecerá serviços comerciais para as divisões. Isso também garantirá, segundo a companhia, que as sinergias das empresas no novo modelo permaneçam como antes. Como uma holding operacional, a responsabilidade pelo financiamento de todo o grupo continuará a pertencer à Daimler, como a única empresa do grupo corporativo a ser listada na bolsa de valores. Não há planos para que as subsidiárias venham a abrir seu capital.

 

Foto: Divulgação.