Nissan espera crescer até 12% este ano, com consistência

Imagem ilustrativa da notícia: Nissan espera crescer até 12% este ano, com consistência
CompartilheSeminário AutoData
25/06/2019

São Paulo – O presidente da Nissan, Marco Silva, acredita que o mercado brasileiro fechará o ano com 2 milhões 750 mil veículos comercializados, acompanhando a tendência do primeiro semestre e com boa participação das vendas diretas. O executivo palestrou no Seminário AutoData Revisão das Perspectivas 2019 na terça-feira, 25, no Milenium Centro de Convenções em São Paulo, SP.

 

“Houve crescimento de mais de 20% nas vendas diretas. Isso mostra algumas coisas: a necessidade de investimentos nessas novas empresas [locadoras ou de aplicativos de transporte], uma mudança significativa de consumo e quebra de paradigma. Acontece gradativamente, ano a ano.”

 

A Nissan espera crescer 10% a 12% em 2019, que Silva define como uma “evolução baseada em planejamento estratégico com consistência”. As vendas crescem com evolução do market share, apoiada pela fábrica na Argentina que produz a picape Frontier, e exportações estáveis.

 

Segundo o executivo a economia brasileira vive um crescimento com volatilidade. “O primeiro semestre não teve o crescimento que se esperava e o ano vai passar com 0,8% a 1% de avanço do PIB. E infelizmente o ano está acabando”.

 

Qualquer ação nos próximos seis meses do governo só será colhida em 2020, na opinião do presidente. Dentro desse crescimento, a Nissan acredita que os desafios são inúmeros, começando pelo cenário nacional: ambiente político, alto desemprego e espera pela reforma da Previdência. No cenário internacional, ainda enfrenta Brexit, crise da Argentina, guerra comercial dos Estados Unidos com a China, tudo isso gerando impacto na economia do Brasil.

 

A abertura de mercado é vista como positiva pela montadora, mas precisa ser acompanhada por reformas e ajustes. “É importante para o consumidor”

 

Outros pontos considerados são a aprovação do Reintegra, para acelerar exportações. “Não queremos favor, queremos ter competitividade. Precisamos de escala para sermos eficientes”.

 

Com foco na mobilidade inteligente, a marca estuda soluções de eletrificação, modelos híbridos e célula a combustível com utilização de etanol. Tudo para os próximos cinco anos. Em 18 de julho a Nissan lança no país o Leaf, seu modelo 100% elétrico, ainda importado.

 

Silva acredita que há potencial para a marca avançar no Brasil. “Queremos crescer com consistência nos próximos anos. Mas isso não é uma corrida. É uma maratona e o que importa é chegar”.

 

Foto: Christian Castanho.