Acordo Caoa-Ford deverá ser oficializado na terça-feira

Imagem ilustrativa da notícia: Acordo Caoa-Ford deverá ser oficializado na terça-feira

São Paulo – O governador do Estado de São Paulo, João Doria, convocou a imprensa ao Palácio dos Bandeirantes na tarde de terça-feira, 3, para falar sobre o desfecho das negociações sobre a fábrica da Ford no bairro do Taboão, em São Bernardo do Campo, SP. Segundo informaram fontes ligadas à negociação, ele anunciará que a Caoa entrou em um acordo com a companhia para adquirir a fábrica, pouco mais de seis meses após o anúncio do encerramento da produção do Fiesta e dos caminhões na unidade.

 

Partiu do governador a iniciativa de buscar um comprador para a fábrica, em uma tentativa de manter, ao menos, parte dos cerca de 2 mil empregos na linha de produção – alguns destes trabalhadores demitidos poderão ser absorvidos pela General Motors em São Caetano do Sul, resultado de um acordo com a prefeitura da vizinha São Bernardo.

 

Na manhã de segunda-feira, 2, representantes do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC se reuniram na sede da Caoa, em São Paulo, com funcionários do departamento de recursos humanos para tratar das contratações dos metalúrgicos da Ford pela nova direção da fábrica. Rafael Marques, representante do sindicato, afirmou que o anúncio da compra da fábrica “está próximo”.

 

A Agência AutoData apurou que a intenção da Caoa, ao menos neste primeiro momento, é a de manter a produção de caminhões Ford e possivelmente veículos de uma outra marca, chinesa, no Taboão. Seria uma forma de atender à rede Ford Caminhões – e a seus fornecedores –, que pedem um desfecho rápido para o assunto.

 

O investimento da Caoa deverá ser de ao menos R$ 1 bilhão, pois o próprio Doria havia afirmado que a compradora deveria usufruir dos benefícios do IncentivAuto, programa de incentivo à indústria automotiva criado pelo governo estadual no começo do ano. Mas fontes ligadas à negociação afirmaram à reportagem que seria necessário forte investimento em manufatura, pois os equipamentos do Taboão são muito antigos.

 

De toda forma, há ainda nós na negociação a serem desatados. O contrato ainda não foi assinado – caso contrário a Ford já deveria ter, ao menos, informado a seus investidores, algo que até o fechamento desta reportagem não havia sido feito.

 

Antes de falar com a imprensa Doria se reunirá com “representantes do setor automotivo” – curiosamente, segundo sua agenda oficial, após a coletiva também: com o presidente da Mercedes-Benz Philipp Schiemer, vizinho da Ford no Taboão.

 

Esta reportagem foi publicada às 18:00 e atualizada às 22:15 com novas informações

 

Foto: Divulgação.