Scania fecha 2019 com números positivos e espera novo ciclo de crescimento em 2020

Imagem ilustrativa da notícia: Scania fecha 2019 com números positivos e espera novo ciclo de crescimento em 2020
Foto Jornalista Márcio Stéfani

Por Márcio Stéfani

CompartilheEmpresa
07/02/2020

O ano de 2019 foi histórico para a Scania. Primeiro porque marcou a chegada da nova geração de caminhões que a consolidou como uma das mais tecnologicamente avançadas fabricantes de veículos de transporte do mundo. Não menos importante, também representou o início oficial das suas vendas de caminhões e ônibus movidos a gás. E agora, finalmente fechado o balanço comercial do ano, o Brasil firmou-se como o maior mercado mundial da marca em vendas totais de veículos, caminhões em particular.

 

Na faixa de atuação acima de 16 toneladas, a empresa comercializou 12 mil 755 caminhões em 2019. Este foi seu maior volume de vendas dos últimos cinco anos, com alta de 47,6% em comparação com 2018, quando foram comercializadas 8 mil 643 unidades. A participação de mercado subiu de 16,4% para 17%.

 

Especificamente nos pesados, o crescimento de vendas da Scania foi de 57,7%, enquanto a segmento cresceu 48,4%. O ano registrou emplacamento total de 12 mil 667 caminhões contra as 8 mil 31 unidades do exercício anterior. A participação subiu de 23,1% para 24,5%.

 

 A marca também apresentou crescimento tanto no segmento de ônibus como de motores indústriais, marítimos e para geração de energia. Nos ônibus, na faixa de veículos acima de 8 toneladas, a Scania vendeu 901 unidades, com crescimento de cerca de 15% sobre os 760 veículos comercializados no exercício anterior. Em motores o ano também foi positivo principalmente em função das 700 unidades a gás que foram vendidas para geração de energia na região norte do Brasil.

 

Para 2020, a expectativa da montadora é de um novo período de crescimento nas vendas em todos estes setores. “Ainda existem algumas incertezas sobre os rumos das economias global e nacional e, por isto, estamos trabalhando com um otimismo moderado neste momento. Mas, a fase da Scania no Brasil é ótima e nossas projeções são de crescimento em todos os segmentos em que atuamos”, afirmou Roberto Barral, vice-presidente das Operações Comerciais da Scania no Brasil.

“A transformação do setor de transportes para a utilização de soluções mais sustentáveis e rentáveis já é uma realidade no mercado atual e estamos bastante otimistas porque foi justamente este o caminho que escolhemos trilhar nos últimos anos”.

 

Segundo as projeções da montadora, o mercado de caminhões acima de 16 toneladas deverá crescer entre 10% e 15% em 2020 numa comparação direta com 2019. “Existem vários indicadores que mostram que teremos uma economia favorável neste ano. Acreditamos em um crescimento do PIB da ordem de 2,5%, na manutenção de uma política de juros baixos e de uma taxa de câmbio estável. Além disso, a previsão da safra é de um novo recorde e estamos iniciando uma retomada do consumo. Tudo isto demandará uma maior utilização de caminhões pesados”, explicou Silvio Munhoz, diretor comercial da Scania no Brasil.

 

Nos ônibus, a visão também é de acréscimo no segmento rodoviário. “Nossa previsão é crescer até 5%. Mas algumas incertezas como o movimento de desregulamentação de linhas e a crescente atuação dos aplicativos levará o mercado a uma adaptação ao longo do ano”, ressaltou Munhoz. Já nos urbanos a expectiva é de estabilidade com um volume de vendas próximo de 2019.

 

No segmento de motores industriais, marítimos e para geração de energia, a projeção é de seguir o ritimo de crescimento da economia esperado para 2020. “2019 já foi muito positivo e, para 2020, acreditamos num crescimento econômico e no aumento das demandas em função do aquecimento da indústria e pela geração de energa que será necessária para sustentar este crescimento”, explicou o diretor comercial da Scania.