Marcopolo e Randon também concedem férias coletivas

Imagem ilustrativa da notícia: Marcopolo e Randon também concedem férias coletivas
Foto Jornalista Roberto Hunoff

Por Roberto Hunoff

CompartilheCovid-19
19/03/2020

Caxias do Sul, RS – A Marcopolo e a Empresas Randon decidiram conceder período de vinte dias de férias coletivas em todo o Brasil a partir de segunda-feira, 23. Só na Marcopolo são 10 mil os trabalhadores afetados -- na Randon depende da região e algumas unidades de negócios seguirão operando em trabalho remoto.

 

Do total, 8 mil são funcionários da Marcopolo de plantas em Caxias do Sul, RS. Os demais estão alocados nas fábricas de Duque de Caxias, no RJ, e São Mateus, ES. Em comunicado, o CEO, James Bellini, e o CFO, José Antônio Valiatti, afirmam que “pessoas são a inspiração para tudo o que fazemos”. Justificam a adoção das férias coletivas como reforço do seu compromisso em respeitar e valorizar as pessoas. Também confirmam que as operações internacionais estão sendo monitoradas e ações serão tomadas de acordo com a evolução do tema em cada local.

 

A empresa ressalta que a equipe comercial e rede de representantes estão de plantão e a postos para, em conjunto, encontrar as melhores alternativas e manter a sustentabilidade dos negócios dos clientes neste momento de incertezas. “Tão logo as atividades sejam retomadas, estaremos engajados na entrega dos pedidos previstos em carteira”.

 

O comunicado ainda confirma que a empresa tem uma carteira robusta de pedidos de clientes do Brasil e Exterior, públicos e privados, o que permitirá a retomada da produção assim que as questões sanitárias permitam. “Permaneçam em casa. Este momento exige conscientização de todos para que possamos evitar a aceleração do contágio. Esperamos em breve voltar à normalidade”.

 

Mesma medida foi adotada pela Empresas Randon. Inicialmente havia sido anunciado que seriam concedidas férias coletivas e seletivas, variando de acordo com a unidade de negócio e região em que está localizada. No meio da tarde da quinta-feira, 19, após o Sindicato dos Metalúrgicos mostrar contrariedade com a decisão e anunciar um protesto para a sexta-feira, 20, o grupo confirmou que, a partir de segunda, 23, será adotado o regime de férias coletivas de vinte dias para o quadro de funcionários das unidades de negócio instaladas em Caxias do Sul.

 

A medida abrange a Randon Implementos, Randon Veículos, Fras-le, Jost, Master, Suspensys e Castertech. Nas demais unidades da empresa, localizadas em outras regiões, as definições poderão variar conforme a situação local. O Banco Randon e Randon Consórcios ficam fora do esquema -- seus funcionários atuarão em regime de home office.

 

No comunicado, a diretoria manifesta entendimento de que o momento deve ser voltado exclusivamente ao cuidado e comprometimento com a prevenção da saúde de seus funcionários, familiares e comunidade. “Esta medida complementa a série de iniciativas que vêm sendo tomadas pela empresa desde janeiro”.

 

Também informa que permanece acompanhando o cenário para seguir com medidas efetivas e na velocidade necessária. Indica que informações adicionais serão compartilhadas quando houver alteração. A empresa reforça que contará com plantões e contingente mínimo para situações emergenciais.

 

Entidades definem estratégias – O Comitê de Crise, formado pelos sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico (Simecs) e dos Metalúrgicos de Caxias do Sul, e por representante da Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia, definiu na tarde de quarta-feira, 18, medidas que buscam auxiliar o setor a atuar na prevenção da saúde dos trabalhadores e na sustentabilidade das empresas. A recomendação do Comitê é de afastamento de pessoas que integram o grupo de risco -- maiores de 60 anos, gestantes e portadores de doenças crônicas -- e pais que não tenham com quem deixar os filhos em razão do fechamento das escolas. As alternativas para esse grupo são a realização de home office, em casos de ocupações administrativas, banco de hora, regime de compensação extraordinária, férias individuais e coletivas, e flexibilização.

 

O comitê orienta também que viagens nacionais e internacionais sejam canceladas. As entidades ainda enviarão ofício aos órgãos públicos, solicitando a criação de Fundo de Apoio. O comitê reforça a importância da atuação em conjunto das entidades para orientar e sensibilizar empresas e trabalhadores a seguir, de acordo com as necessidades, medidas de prevenção para a redução dos impactos do Covid-19.

 

A reunião contou com as presenças do presidente do Simecs, Paulo Spanholi, e do Sindicato dos Metalúrgicos, Assis Melo, e do gerente regional do Ministério do Trabalho de Caxias do Sul, Vanius Corte. Ao final foi assinada a Convenção Coletiva de Trabalho em Caráter Extraordinário Emergencial.

 

A reportagem foi atualizada às 17:30 da quinta-feira, 19, com a decisão da Empresas Randon.

 

Foto: Divulgação.