BorgWarner antevê crescimento de 10% no mercado de autopeças em 2018

Imagem ilustrativa da notícia: BorgWarner antevê crescimento de 10% no mercado de autopeças em 2018
CompartilheFornecedor
30/11/2017

Com a retomada do mercado no segundo semestre a produtora de turbos BorgWarner, de Itatiba, SP, está otimista com as perspectivas do setor de autopeças para 2018, afirmou Nélson Bastos, gerente da unidade de negócios de aftermarket: “2017 já começou a retomar o crescimento. Desde agosto os números só melhoraram e esperamos que o ano que vem seja ainda melhor, seguindo a rota do crescimento”.

 

“Para o mercado de autopeças estamos sendo conservadores, esperando um crescimento de 10%, para não aguardar mais do que o mercado conseguirá crescer.”

 

Uma das apostas da empresa para ganhar espaço no mercado são as peças remanufaturadas, que segundo dados divulgados na quinta-feira, 30, representam apenas 4% do mercado de autopeças, com grande potencial de crescimento no Brasil, pois em países desenvolvidos, como o Estados Unidos, essas peças representam 20% do mercado de reposição. De acordo com Bastos falta uma cultura de remanufatura no País, o que já é visto em outros lugares.

 

Uma das principais peças remanufaturadas da BorgWarner no mercado são os turbos para caminhões e ônibus. A expectativa para este ano é recuperar 30 mil unidades, volume 20% maior do que o do ano passado. Para 2018 o crescimento esperado também é de 20%, chegando a 36 mil turbos remanufaturados.


Há, porém, um entrave no mercado de turbos remanufaturados: são os equipamentos pirata, produzidos com base na carcaça dos originais da BorgWarner e de outras empresas, que são recuperados sem procedência e sem garantia de fábrica, sendo vendidos como os que são feitos pelas empresas, com vida útil igual aos originais. O problema nesta área é tão grande que 40% dos turbos recuperados no Brasil são falsos -- em outras palavras este segmento é liderado por empresas falsificadoras. Nem sempre é pelo preço que eles se destacam, pois em alguns casos o produto falso custa o mesmo que o original, chegando até a custar mais caro. 


Analisando esse mercado a BorgWarner identificou treze empresas que falsificam e comercializam turbos com a carcaça de seus originais e tomará as medidas legais para evitar esse tipo de ação.

Foto: Divulgação.