Para Sindipeças, fornecedores estão preparados para aumento da demanda

Imagem ilustrativa da notícia: Para Sindipeças, fornecedores estão preparados para aumento da demanda
CompartilheSeminário AutoData
05/03/2018

O setor de autopeças está preparado para suportar o crescimento da produção de veículos este ano. Essa é a visão do presidente do Sindipeças, Dan Ioschpe. Segundo ele as empresas, inclusive as dos elos mais fracos da cadeia, Tier 3 para baixo, investiram nos últimos anos para atender produção acima de três milhões de veículos.

 

"O que pode acontecer é que os fornecedores do Tier 3 poderão demorar mais tempo para atender a programação das montadoras, caso ocorra um aumento das encomendas. Elas têm um tempo de resposta maior. Mas não vejo como um gargalo. Essa deteriorização de que alguns falam não nos parece evidente. No ano de 2017, por exemplo, vimos mais empresas se associando ao Sindipeças do que saindo. Crescemos 4% no número de associados", disse Ioschpe durante palestra no Seminário AutoData Megatendências no Setor Automotivo – Os Desafios de 2018 Com ou Sem o Rota 2030, que ocorreu na segunda-feira, 5, em São Paulo, Capital.

 

O presidente do Sindipeças ressaltou, ainda, que a prova de que o segmento está preparado para atender o crescimento da produção de veículos é a utilização da capacidade instalada, que hoje beira aos 70%. "Estamos no mesmo patamar de 2015, não é um número tão elevado. As autopeças, assim como as montadoras, também se prepararam para uma produção de cinco milhões a seis milhões de veículos há cinco anos. Esse era o cenário previsto naquela época. Então, para uma produção de três milhões de unidades, estamos capacitados."

 

O Sindipeças estima crescimento de 11% no volume de veículos fabricados este ano no Brasil – esse índice, contudo, deve ser revisto para cima em breve. Segundo Ioschpe as encomendas das montadoras ficaram acima do estimado nos primeiros meses deste ano. "A projeção de 11% de crescimento era um cenário do ano passado. Esse número deve chegar, seguramente, a casa dos 20%. E estaremos prontos para atender essa demanda."

 

Ioschpe disse ainda que o programa Rota 2030, cuja publicação estava prevista originalmente para ocorrer no fim do ano passado, poderia ter alguns pontos já editados este ano, para dar mais previsibilidade ao setor automotivo. "Pontos que já estejam definidos podiam ser publicados antes, como a questão da eficiência energética e da segurança. Isso porque o mercado pode ser invadido por uma gama de produtos com nível de tecnologia inferior ao determinado pelo Inovar-Auto. Mas o governo é uma entidade complexa."

 

Foto: Allex Chies.