VW concede férias a trabalhadores da Anchieta

Imagem ilustrativa da notícia: VW concede férias a trabalhadores da Anchieta

São Paulo – A Volkswagen concederá férias coletivas a 1,8 mil funcionários da fábrica de São Bernardo do Campo, SP, por causa da crise do mercado argentino, principal destino de exportação dos veículos VW produzidos aqui. A pausa será iniciada na segunda-feira, 8, e durará trinta dias. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, funcionários de algumas áreas ficarão menos tempo ausentes.

 

A Volkswagen informou, por meio de nota, que “embora o mercado brasileiro demonstre evolução em 2018, os envios para a Argentina foram momentaneamente reduzidos”, e que “para fazer frente a essa redução nos volumes de veículos exportados a partir do Brasil para a Argentina estamos pontualmente utilizando ferramentas de flexibilização da produção, de forma a promover os ajustes necessários, garantindo assim a sustentabilidade do negócio”.

 

O comunicado ressaltou que, mesmo diante da crise argentina, a empresa planeja crescimento de 10% em sua produção em 2018 na comparação com 2017. Em São Bernardo do Campo, SP, trabalham cerca de 15 mil pessoas -- a parada envolve, portanto, 12% da força de trabalho da unidade.

 

A paralisação da VW Anchieta, onde são produzidos os modelos Polo, Virtus e Saveiro, é o primeiro caso confirmado no Brasil com vínculo com a situação econômica da Argentina. Do outro lado da fronteira os primeiros ajustes de produção começaram em várias montadoras na semana passada em função da redução da demanda interna e dos cortes nas exportações ao mercado brasileiro.

 

A General Motors, por exemplo, cortou um turno da produção do Chevrolet Cruze. Na semana passada, diante do quadro, o presidente da CNH Industrial, controladora da Iveco, disse que o grupo cogita interromper a produção de caminhões e máquinas agrícolas e de construção que mantém no país.

 

Em agosto a Volkswagen concedeu férias coletivas aos trabalhadores de áreas parciais da unidade de Taubaté, SP, onde são produzidos os modelos de maior volume da companhia, Gol, Voyage e up!. Na ocasião não confirmou se a paralisação tinha relação com o mercado da Argentina, para onde, no ano passado, a empresa exportou 163,3 mil unidades, 52% a mais do que o volume de 2016. Em agosto as vendas de veículos na Argentina registraram queda de 25% na comparação com o volume vendido em agosto do ano passado: foram emplacadas 65,2 mil unidades ante 87,2 unidades em agosto de 2017.

 

Com menos carros embarcados diminui também a quantidade de peças exportadas à Argentina. Em agosto o recuo foi de 15% na comparação com o desempenho visto em agosto do ano passado.

 

São os veículos produzidos na VW Anchieta responsáveis por terem feito a empresa ganhar participação de mercado interno brasileiro nos últimos meses. Os lançamentos Polo e Virtus fizeram a montadora registrar 190 mil 379 unidades vendidas até agosto, o que representa crescimento de 37% ante os oito meses de 2017. Com o volume a empresa é a segunda maior marca do mercado nacional, atrás da GM e à frente da Fiat.

 

Na semana passada os trabalhadores na VW Anchieta aprovaram em assembleia a renovação do acordo de garantia de empregos e investimentos. Com isso ficou garantida a aplicação da data-base, PLR, todas as cláusulas sociais, efetivação de aprendizes e investimentos na unidade.

 

Foto: Divulgação.