Volkswagen Caminhões mostra a arte-final do e-Delivery

Imagem ilustrativa da notícia: Volkswagen Caminhões mostra a arte-final do e-Delivery

São Paulo -- Assim como na última edição da Fenatran, ocorrida em 2017, uma das grandes estrelas da Volkswagen Caminhões e Ônibus na feira é o caminhão elétrico e-Delivery. O veículo, que será construído nas linhas do consórcio modular mantido em Resende, RJ, foi apresentado em seu modelo final para o mercado brasileiro no domingo, 13, um pouco diferente daquele visto há dois anos quando ainda era um protótipo chassi-cabine com cara VW e algumas incertezas em seu interior.

 

É agora oficial o grupo que integra a cadeia de fornecedores do caminhão elétrico brasileiro: Bosch, CATL, Moura, Semcon, Siemens, WEG, Meritor e Eletra serão responsáveis pela construção das partes e peças do veículo que têm como principal demanda, por ora, o pedido de 1,6 mil unidades negociadas com a Ambev, cujos motoristas os submeteram, nos últimos dois anos, testes de operação de distribuição de bebidas em São Paulo. O caminhão chega ao mercado no segundo semestre do 2020.

 

A versão do caminhão elétrico VWCO apresentada na Fenatran deste ano, na comparação com o protótipo de 2017, tem acabamento que passa a sensação de incorporar melhor o powertrain elétrico, com tampas e carenagens -- há dois anos o veículo tinha essas partes expostas pelas longarinas do chassi.

 

Imagem ilustrativa da notícia: Volkswagen Caminhões mostra a arte-final do e-Delivery

 

O primeiro modelo a entrar em linha será o de 14 toneladas na configuração 6x2 com motor de 260 kW de potência. Na sequência será a vez do modelo de 11 toneladas. As baterias permitem autonomia de 200 quilômetros, segundo a montadora, com tempo de carga completa estimado em 3 horas. Há sistemas de regeneração de energia por meio da frenagem.

 A Bosch será a responsável pelo fornecimento dos controles eletrônicos que farão a integração dos conjuntos elétricos com os mecânicos. De acordo com seu presidente, Besaliel Botelho, a empresa produz no Brasil estes tipos de componentes mas não para aplicação compatível com o e-Delivery, o que leverá a companhia recorrer, em princípio, à importação: "O volume também ainda é baixo para que possamos cogitar uma produção nacional, mas estamos criando um mercado e a tendência é a de que os volumes aumentem".

 

O eventual aumento dos pedidos pelo e-Delivery podem fazer a Bosch, no futuro, a se instalar dentro do e-Consórcio, disse Botelho, para tornar mais ágil o processo logístico. A CATL, fornecedora de pacotes as baterias do veículo, e a Semcon, integradora de sistemas elétricos, também participam do fornecimento para o caminhão elétrico VWCO com componentes importados. Ambas não possuem fábricas no País.

 

A Eletra, sediada no Brasil, também faz parte do quadro de fornecedores como integradora de sistemas elétricos. A companhia participou da construção do e-Delivery apresentado na Fenatran de 2017 como responsável pela integração do powertrain com o motor elétrico WEG, outra empresa com sede no País e que continua como fornecedora do caminhão VWCO.

 

A Meritor, como antecipado por AutoData em abril, será a fornecedora de eixo elétrico. O conjunto estava sendo testado pela fabricante nos Estados Unidos em clientes e em bancada. A Moura, com fábrica em Pernambuco, será a fornecedora das baterias. A Siemens, também com unidades no Brasil, fornecerá equipamentos de infraestrutura para o veículo, como o carregador das baterias.

 

Foto: Divulgação.