Congelado o projeto de picape Ford-Volkswagen na Argentina

Imagem ilustrativa da notícia: Congelado o projeto de picape Ford-Volkswagen na Argentina
Foto Jornalista  Leandro AlvesFoto Jornalista André Barros

Por Leandro Alves

e André Barros

CompartilheMontadora
30/10/2019

São Paulo – A parceria da Ford com a Volkswagen para o desenvolvimento e a produção, em conjunto, de picapes da nova geração da Ranger e da Amarok em General Pacheco, Argentina, pode não sair do papel. Segundo apurou a Agência AutoData o Projeto Cyclone, como é conhecido internamente o desenvolvimento das picapes médias para o mercado sul-americano, está paralisado.

 

As razões, ao contrário do que seria natural imaginar -- o atual cenário da Argentina --, nada têm a ver com a situação ali, com problemas na economia e em busca de uma reconstrução política que possa trazer soluções para retomar o crescimento. Uma fonte disse à reportagem que existe um “curto-circuito nas duas companhias acerca do contrato para a Ford produzir a picape da Volkswagen”.

 

Essa decisão, conforme apurado, não passou pelas lideranças regionais das duas empresas: tudo está sendo negociado diretamente pelas matrizes. O acordo foi fechado pelos CEOs, em âmbito global, e envolveu, dentre outros projetos conjuntos, veículos comerciais, veículos elétricos e autônomos.

 

Ford e Volkswagen são vizinhas na Argentina. As duas fábricas são literalmente divididas por um muro, herança da Autolatina, parceria que juntou forças das duas companhias na América do Sul nos anos 1980 e 1990, compartilhando projetos de automóveis e até caminhões. A união provocou alguns ruídos internos, devido, especialmente, à diferença de cultura empresarial de europeus e estadunidenses.

 

Uma eventual solução para a atual situação na Argentina seria, de acordo com uma fonte, separar novamente os projetos e cada empresa desenvolver a sua própria picape. Retomar o Projeto Cyclone também não é carta fora do baralho. Mas o prazo para o primeiro fruto da aliança global anunciada no ano passado chegar ao mercado, 2022, pode não ser cumprido.

 

Procuradas pela reportagem Ford e Volkswagen, na região, responderam que não comentarão o assunto.

 

Foto: Divulgação.