Atividade econômica cresce no ano e setor automotivo tem grande participação

Imagem ilustrativa da notícia: Atividade econômica cresce no ano e setor automotivo tem grande participação
CompartilheIndústria
20/11/2017

A atividade econômica nacional cresceu 0,4% no acumulado deste ano  segundo os dados divulgados pela Serasa Experian, na semana passada. A alta é de 0,3% no terceiro trimestre, se compararmos trimestre anterior. Na comparação com o mesmo período do ano passado o crescimento foi de 1,2%. 

 

Segundo Luis Rabi, economista da Serasa Experian, alguns fatores são os grande responsáveis por esse crescimento: “O aumento das exportações é um deles, o mundo está crescendo mais e isso tem ajudado no aumento do volume vendido para outros países. Houve também uma leve alta nos investimentos, 0,8% e isso mostra que os empresários estão mais confiantes e desengavetando alguns projetos de investimentos”.

 

Considerando a oferta agregada, houve crescimento de 1,1% da indústria no terceiro trimestre e o setor automotivo tem grande participação: “O setor automotivo ajudou bastante e não foi só com o crescimento das exportações. Percebemos que o volume de crédito liberado para pessoas físicas cresceu 20% até agora, isso mostra que o consumo interno também está melhorando, com a população saindo da inadimplência e pagando suas dívidas”, avalia Rabi.

 

O economista também destaca que esse cenário mudou completamente: “Em 2017 tudo mudou com relação ao ano passado, com melhora da renda da população e leve crescimento dos empregos formais, com isso, o crédito fica mais acessível, sendo muito importante no segmento de bens duráveis, onde estão os automóveis, eletrodomésticos e eletrônicos”.

 

 Se a oferta agregada da indústria cresceu no trimestre, no acumulado do ano ocorreu queda de 0,9%, mas Rabi destaca que esse número está diminuindo: “No meio do ano esse número era de 1,5%, agora é de 0,9% e está diminuindo. Esperamos fechar o ano no zero a zero. Os setores que estão puxando a indústria para baixo são o de máquinas e equipamentos, que caiu muito durante a crise e ainda não se recuperou e o de material de construção”.

 

No caso da demanda agregada, onde estão as exportações, houve crescimento de 2,4% nas vendas para outros países. Com relação a valores, o Brasil exportou US$ 210 bilhões até setembro e o setor automotivo representou 7%, volume 33% maior do que no mesmo período do ano passado.

 

Foto: divulgação