Hyundai encara seu dilema:como liderar o segmento de SUVs com o Creta?

Imagem ilustrativa da notícia: Hyundai encara seu dilema:como liderar o segmento de SUVs com o Creta?
CompartilheMontadora
27/11/2017

O segmento do setor automotivo que mais cresce no Brasil, hoje, é o de SUVs compactos -- e é, também, o que mais recebe novos concorrentes, pois as empresas fabricantes precisam estar dentro desse mercado. No caso da Hyundai a aposta é o Creta, lançado em novembro do ano passado e que este ano teve 32 mil 362 unidades emplacadas até outubro, segundo os dados da Renavam: é o segundo SUV mais vendido da categoria, batendo concorrentes como Jeep Renegade e Chevrolet Tracker e perdendo para o Honda HR-V, que vendeu 39 mil 414 unidades no mesmo período.

 

O resultado de vendas do Creta no ano "é muito bom", mas a Hyundai quer o topo do ranking, afirma Cássio Pagliarini, diretor de marketing da Hyundai Motor Brasil: “A liderança do segmento de SUVs compactos é a nossa meta, ainda em 2017, e o plano para 2018 será o mesmo”.

 

A intenção de assumir a liderança este ano certamente não é tão simples por causa da limitação de produção que a Hyundai tem em Piracicaba, SP: lá a capacidade instalada total é de 180 mil unidades/ano e sua expectativa, de produzir 36 mil unidades Creta e 144 mil da família HB20, então, ainda não permite ao Creta alcançar o HR-V, que já emplacou mais do que a Hyundai pretende produzir este ano. A projeção é a de que o Honda emplacará mais de 40 mil unidades em 2017.

 

Para 2018 o objetivo pode ser viável à medida que o volume de emplacamentos mensais do Creta tem sido próximo ao do HR-V em diversos meses, mas a empresa terá que rever a distribuição de sua capacidade produtiva para aproveitar o bom momento do segmento dos SUVs compactos e disputar a liderança.

 

Com foco na liderança em 2018 à Hyundai restará inverter um pouco o seu perfil de produção: menos unidades da família HB20 para contar com mais unidades Creta. Mas essa hipótese traz outra questão complicada para a empresa: a retomada do mercado e o aumento das vendas por segmento. Se isso acontecer a Hyundai terá que pensar em novo investimento para aumentar sua capacidade produtiva no Brasil, pois a fábrica de Piracicaba já opera em três turnos e suas principais concorrentes conseguem produzir mais e atender à demanda crescente do mercado, enquanto a Hyundai ficará amarrada ao limite de 180 mil veículos produzidos por ano.

 

Para produzir o Creta o investimento Hyundai foi de US$ 130 milhões. 

 

Foto: Divulgação.