Decisão do Rota 2030 em abril? Pode ser.

Imagem ilustrativa da notícia: Decisão do Rota 2030 em abril? Pode ser.
CompartilheIndústria
19/03/2018

Será realizada em abril a próxima reunião do presidente da Anfavea, Antônio Megale, com o presidente da República para discutir a aprovação do programa automotivo que deve suceder o Inovar-Auto, o Rota 2030: “Não posso revelar o dia exato, mas será no mês que vem e eu espero que o presidente finalmente assine o Rota 2030”.

 

Megale afirmou, durante evento realizado em São Paulo na tarde da segunda-feira, 19, novamente, que a falta de previsibilidade gera impasses no setor automotivo, pois as empresas ficam aguardando para saber como avançar em seus investimentos.

 

A questão dos incentivos na área de P&D segue como um entrave: “Precisamos dessa definição, independente se terá ou não, precisamos saber. Nós acreditamos que os incentivos são muito importantes para os avanços de Pesquisa e Desenvolvimento na região. O que não é razoável é ficar desde o começo do ano com diversos pontos em aberto, pois as montadoras podem começar a rever seus investimentos nessa área no Brasil e essa é a nossa preocupação. As empresas estão em compasso de espera para saber para onde vão, com ou sem o Rota 2030”.

 

Simplificando a questão de P&D o setor pretende que aproximadamente 30% do valor investido pelas empresas nessa área retornem na forma de incentivos para o desenvolvimento de novas tecnologias na região -- mas isso só acontece quando o ciclo de investimento anunciado pela empresa se encerra.

 

Opinião Toyota - Para Ricardo Bastos, diretor de relações púbicas e de assuntos governamentais da Toyota, os incentivos para P&D também são muito importantes pois sem eles os futuros investimentos das empresas no País podem ser afetados:

 

“Se não houver incentivos não teremos como disputar os investimentos das matrizes com outros países, que em sua maioria concedem incentivos para aportes nessa área. Com isso o desenvolvimento local de novas tecnologias pode atrasar”.

 

O executivo relembrou que durante o Inovar-Auto, que concedeu incentivos para as montadoras que investissem em P&D, a Toyota construiu seu centro tecnológico em São Bernardo do Campo, SP, com parte desses incentivos. A nova unidade permite a homologação de um novo fornecedor em 30% do tempo que, antes, era requerido.

 

“Mesmo com os entraves acredito que a aprovação pode acontecer ainda este ano, pois se teremos metas de eficiência energética e de segurança, precisamos saber o quanto antes para fazermos os avanços necessários.”

 

Foto: Divulgação