Cresce faturamento da Prysmian no setor automotivo

Imagem ilustrativa da notícia: Cresce faturamento da Prysmian no setor automotivo

A fabricante de cabos elétricos Prysmian registrou faturamento de R$ 1,5 bilhão no País em 2017, alta de 23% na comparação com o desempenho de 2016. Segundo a empresa o crescimento se deu em função das demandas crescentes no setor automotivo, que foram 30% maiores ano passado: foi a sua unidade de negócios com maior crescimento de receita no período.

 

A Prysmian atende também a outros setores, como telecomunicações, responsável pela maior fatia em termos de receita, e energia, a segunda maior.

 

A retomada das vendas de automóveis vista ano passado teve influência direta no faturamento da empresa, que atende às fabricantes instaladas aqui com peças originais. As exportações também favoreceram o cenário de crescimento, e representaram 22% dos seus negócios, informou a empresa na quinta-feira, 26.

 

Segundo Marcello Del Brenna, CEO para a América do Sul [foto], é esperada manutenção do cenário positivo das entregas ao setor automotivo em 2018: “As expectativas para este ano são de crescimento ainda maior, mesmo com cenário político turbulento à vista”.

 

O horizonte fez a empresa traçar planejamento para buscar maior rentabilidade na região, esquema que envolve, por exemplo, a unificação da produção mantida no Brasil, onde possui 1,2 mil funcionários que operam em cinco unidades produtivas: Joinville, SC, Santo André, SP, duas unidades em Sorocaba, SP, e Vila Velha, ES. Há uma unidade na Argentina e outra no Chile.

 

No ano passado a empresa anunciou o fechamento da unidade de Santo André como parte do plano de reestruturação. Essa estrutura, que tem 320 funcionários, será anexada ao parque industrial de Sorocaba, em fase de ampliação da área construída para receber novos equipamentos. Outra motivação para a mudança é o fato de o terreno onde a empresa está instalada há noventa anos ser alugado: tanto a fábrica quanto o prédio administrativo são propriedades da Pirelli. Não houve interesse em renovar um contrato que expirará em 2025.

 

O investimento, anunciado ano passado, foi de R$ 150 milhões na expansão da unidade que será batizada de Centro de Excelência, segundo Del Brenna: “Os investimentos nessas novas instalações mostram o compromisso da Prysmian com os mercados brasileiro e sul-americano e a disposição em buscar um crescimento ainda maior nessas regiões”.

 

Com a expansão está prevista a criação de 250 empregos na produção. Ainda que a fábrica esteja em processo de construção a sede administrativa já se muda para Sorocaba no segundo semestre.

 

A Prysmian tem sede na Itália e, em 2017, registrou faturamento global de € 7,9 bilhões.

 

Foto: Divulgação.