Para rede, leves crescem 10% e pesados 28%

Imagem ilustrativa da notícia: Para rede, leves crescem 10% e pesados 28%
CompartilheCongresso AutoData 2019
15/10/2018

São Paulo – Os distribuidores de veículos projetam um 2019 positivo na vendas apesar das incertezas relacionadas ao panorama político. Se o próximo presidente da República mantiver as taxas de juros em níveis favoráveis de acesso ao crédito, as vendas de veículos leves no próximo ano serão 10% maiores na comparação com o volume licenciado em 2018, estimado em 2,5 milhões. No caso dos caminhões o porcentual projetado é maior: 28%.

 

Durante o Congresso AutoData Perspectivas 2019, realizado em seu primeiro dia, a segunda-feira, 15, em São Paulo, Capital, Luiz Eduardo Guião, presidente da Assobrav, associação do concessionários Volkswagen, afirmou que o crescimento esperado se dará em função dos lançamentos programados pelas montadoras para o período, que se somarão a demanda reprimida que ainda existe no mercado. “O crescimento das vendas será porcentualmente menor do que o visto este ano. Diminuiu o fluxo nas lojas, mas haverá crescimento de segmentos já aquecidos, como os SUVs”.

 

Outra associação de concessionários que observa crescimento das vendas pelas mesma razões é a Abrac, a representante dos distribuidores de veículos Chevrolet. Carlos Sponchiado, presidente, comparou o processo de retomada pelo qual o setor deverá passar à reconstrução de um edifício: “Com a crise o mercado veio abaixo. Levaremos dez anos para voltar ao patamar de vendas de 2013, mas haverá crescimento em 2019”.

 

A Fenabrave, representante das associações de distribuidores de veículos, aguardará um pouco mais para fazer suas projeções, informou José Maurício Andreta Junior, seu vice-presidente. Porém o dirigente adiantou que vislumbra mercado com volume de vendas semelhante ao que deverá ser registrado até este dezembro: “A Fenabrave prefere aguardar um cenário mais claro para apresentar suas expectativas para 2019, mas minha percepção é de crescimento dependendo do que o novo presidente fizer nos seus primeiros meses de mandato”.

 

Andreta Junior afirmou ainda que a Fenabrave trabalha junto ao governo para melhorar a rentabilidade das concessionárias, pleiteando medidas como a criação do Renave, registro nacional de estoque, "que desburocratiza e gera economia para os distribuidores, além de criação de lei para retomada dos veículos com financiamento inadimplente e incentivos à renovação de frota”.

 

A expectativa de crescimento no segmento de caminhões é de João Batista Saadi, presidente da Assobens, a associação do distribuidores Mercedes-Benz: para ele serão vendidos até dezembro cerca de 70 mil caminhões, sendo 50% pesados. No ano que vem o volume será próximo de 90 mil unidades.

 

A projeção feita por Saadi tem como base oportunidades de negócios a partir das demandas do agronegócio, com crédito disponível. Mas “isso acontecerá se os nossos governantes fizerem tudo certo. Não podemos ter um acidente de percurso”.

 

Foto: Rafael Cusato.