Empresas brasileiras reforçam presença na China

Imagem ilustrativa da notícia: Empresas brasileiras reforçam presença na China
CompartilheEstratégia
29/11/2017

A Fras-le programou para esta quinta-feira, 30, a inauguração das novas instalações de sua fábrica em Pinghu, na província de Zhejiang, na China, onde já opera há oito anos em instalações próprias. A nova planta, que faz parte da estratégia da companhia de duplicar seu faturamento em cinco anos, foi planejada para se transformar em plataforma de exportações para os países da região. A inauguração ocorre durante a realização da Automechanika Shangai 2017, que teve início na quarta, 29, e segue até sábado 2, e onde a Fras-le expõe sua linha de produtos.



A unidade terá 15 mil m² de área construída, o que representa mais do que o dobro da atual, na mesma localidade, com 6 mil m². Os investimentos contemplam novos equipamentos e incremento de 2,5 vezes na área de manufatura que passa de 4,5 mil m² para 11 mil m², onde serão produzidas lonas e pastilhas de freio para veículos comerciais. Eduardo Manenti Vargas, general manager – Ásia, estima que sejam abertos 200 novos empregos nos próximos anos.


A Fras-le Ásia terá capacidade para produzir anualmente até 5 milhões de peças em pastilhas e até 10 milhões de unidades de lonas. O volume inicial será de 1 milhão 750 mil pastilhas e 4 milhões em lonas, com aumento gradual ao longo dos anos.



A Fras-le atua no mercado chinês desde 2001. Desde 2006 passou a atendê-lo por meio de uma operação comercial fixada na China, até a instalação da fábrica em 2009. O presidente das empresas Randon, David Randon, que prestigiará a inauguração, considera que: “Nossa presença na China foi fundamental para o projeto de internacionalização”.


A Marcopolo, também de Caxias do Sul, RS, que tem fábrica na China desde 2005, recebeu autorização para operar em uma zona de estímulos às exportações. A empresa poderá importar componentes sem impostos e reexportar carrocerias prontas. De acordo com o CEO Francisco Gomes Neto, a companhia deverá investir em torno de US$ 1 milhão, cerca de R$ 3,2 milhões, em adequações na fábrica já existente, projetando o início destas operações para o primeiro trimestre de 2018.

Atualmente são exportadas em torno de trezentas unidades, número que deve triplicar nos próximos cinco anos, de acordo com Gomes Neto. A fábrica está localizada em Chuangxin, na província de Jiangyin, e os principais clientes sediados no Leste da Ásia e na Região Asiático-Pacífica.