Argentina e México fracos fazem exportação cair

Imagem ilustrativa da notícia: Argentina e México fracos fazem exportação cair
CompartilheBalanço da Anfavea
06/08/2018

São Paulo - As exportações, que cresciam até junho, sentiram o impacto dos problemas econômicos de Argentina e México no mês passado, quando foram exportados 51 mil 358 veículos, retração de 21,7% na comparação com o mesmo período do ano passado e de 20,9% com relação ao mês anterior, de acordo com dados divulgados pela Anfavea na segunda-feira, 6. Com esse resultado negativo, no acumulado do ano o setor exportou 430 mil 359 unidades, uma queda de 2,8% ante janeiro a julho do ano passado, revertendo a tendência de crescimento do primeiro semestre.

 

De acordo com o presidente Antonio Megale, mesmo com a queda no acumulado será possível igualar o número de vendas para outros países do ano passado: “Essa queda era esperada pois as montadoras já registravam pedidos menores. Mesmo assim nossa projeção de estabilidade para o ano está mantida”.

 

O presidente também falou sobre a situação dos principais parceiros comerciais:

 

“Argentina e México estão com problemas econômicos e isso reflete diretamente nas exportações de veículos. O primeiro já reduziu suas projeções de vendas para o ano, o que atinge o número de pedidos que as montadoras recebem, enquanto o segundo fará uma reunião com os Estados Unidos na semana que vem para decidir o futuro do Nafta”.

 

Megale também disse que a queda nas exportações reflete na produção nacional de veículos, pois nos últimos anos essa área foi beneficiada pelo crescimento nas vendas para outros países: “Infelizmente essa é uma característica da nossa região, pois é raro que todos os países estejam em um bom momento econômico ao mesmo tempo. Por isto é normal que, enquanto o Brasil cresce, um parceiro importante vive momento diferente. Mas a nossa expectativa é a de que Argentina e México resolvam os problemas econômicos o quanto antes e voltem a crescer".

 

Enquanto os principais parceiros estão em queda, o Chile ganha relevância nas exportações brasileiras: “As vendas mensais chilenas estão crescendo e já representam dois terços do que é vendido na Argentina, o que para o Brasil é muito importante”.

 

Com relação aos principais destinos das exportações a Argentina, mesmo em queda, segue representando 75% do volume, seguida por México, 6% -- mas já foi 12% -- Chile 6%, Uruguai 4% e Colômbia 3%.

 

Fotos: Divulgação.