Segmento premium puxa híbridos e elétricos no Brasil

Imagem ilustrativa da notícia: Segmento premium puxa híbridos e elétricos no Brasil
CompartilheMontadora
17/09/2018

São Paulo – O crescimento de oferta e vendas de veículos elétricos e híbridos no mercado brasileiro está sendo puxado pelas fabricantes de veículos premium. Executivos dessas marcas consideram o fenômeno natural, devido aos seus custos de produção e final elevados, que tornam inviáveis a oferta de um modelo eletrificado a preços populares no Brasil – ao menos por enquanto.

 

Segundo Johannes Roscheck, presidente da Audi no Brasil, esse crescimento, aqui, só poderia ser organizado por marcas premium:  “Acredito que haverá um mercado de elétricos e híbridos de pequeno volume no País nos próximos anos, que puxará o crescimento desse segmento e que será bastante interessante para que as marcas premium possam mostrar suas tecnologias globais”.

 

Leandro Teixeira, diretor de marketing da Volvo Cars, acredita que isso ocorre porque as empresas premium têm a tecnologia disponível, o que facilita a comercialização de modelos no mercado nacional. Outro fator contribui: os modelos se encaixam em faixa de preço dos demais ofertados pelas empresas do segmento.

 

“Mesmo assim espero que as marcas de maior volume também avancem nesse segmento para tornar a tecnologia disponível para mais pessoas, pois esse tipo de veículo será o futuro da mobilidade global”.

 

Frederic Drouin, presidente da Jaguar Land Rover no Brasil, disse também acreditar no crescimento dos híbridos e elétricos no mercado premium. Promete, inclusive, lançamentos no ano que vem: “Lançaremos o Jaguar I-Pace, nosso SUV elétrico que já é um sucesso global, e também teremos versões híbridas de modelos da Land Rover. Essas novas tecnologias nos ajudarão a crescer em 2019 no País”.

 

Mais novidades –  Na terça-feira, 18, a Audi lançará o seu primeiro SUV totalmente elétrico, o e-tron – que poderá chegar ao Brasil nos próximos meses, de acordo com o seu presidente: “Estamos negociando com a matriz a vinda do modelo para o País pois a sua produção global já começou”.

 

Nos próximos anos a empresa eletrificará modelos como A6, A7 e A8, até atingir a marca de 50% da gama com versões elétricas ou híbridas. Estes novos veículos também poderão vir para o Brasil.

 

A Volvo Cars também aposta no crescimento deste tipo de veículo e já comercializa uma versão híbrida do XC90 no Brasil. O portfólio crescerá até o fim do ano, segundo Teixeira: “As vendas do XC60 e do S90 híbridos começarão em outubro, mas a pré-venda já está sendo feita pelos nossos concessionários. No futuro uma versão híbrida do XC40 virá para o Brasil, assim como todos os próximos lançamentos”.

 

Esse planejamento está inserido no objetivo global de vender 1 milhão de veículos eletrificados até 2025, oferecendo uma versão eletrificada para cada lançamento a partir de 2019.

 

A BMW foi a primeira marca premium a apostar no crescimento dos elétricos e híbridos no Brasil, com o lançamento do i3 em 2013 e, pouco tempo depois, com o do esportivo híbrido i8. Neste ano, para impulsionar o segmento, desenvolveu o primeiro corredor elétrico do Brasil, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro, RJ, em parceria com a EDP, empresa do setor elétrico.

 

A Mercedes-Benz ainda não possui nenhum modelo elétrico no Brasil mas já vende esse tipo de veículo em outros mercados e estuda sua vinda para cá. Com a criação do Rota 2030 a empresa poderá aprofundar seus estudos de acordo com as informações relativas a tributos, potências e modelos.

 

Fotos: Divulgação.