VW fez reunião com governo de SP

Imagem ilustrativa da notícia: VW fez reunião com governo de SP
CompartilheMontadora
29/01/2019

São Paulo – O governador do Estado de São Paulo, João Dória, recebeu na tarde de segunda-feira, 28, o presidente da Volkswagen América do Sul, Pablo Di Si, em seu gabinete no Palácio dos Bandeirantes. Na visita – de cortesia, segundo informou a companhia – esteve também o diretor de assuntos governamentais Antonio Megale, o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando e o secretário da Fazenda e Planejamento, Henrique Meirelles.

 

A Volkswagen possui três fábricas no Estado: em São Bernardo do Campo, onde produz Polo, Virtus e Saveiro, em Taubaté, de onde saem up!, Gol e Voyage e em São Carlos, que monta motores e outros componentes. As três são exportadoras.

 

A reportagem da Agência AutoData apurou que a liberação de créditos de ICMS foi um dos assuntos debatidos na reunião. Fabricantes de veículos e autopeças acumulam um saldo tributário devido à diferença da alíquota de um Estado para o outro e das operações de exportações, que são isentas da tributação.

 

O secretário da Fazenda admitiu, na semana passada, que poderia liberar esses créditos para a General Motors, que bateu na porta do governador para pedir auxílio para retornar à lucratividade, uma das premissas para seguir investindo na região. No caso da GM, que passa por uma reestruturação global, foi ventilada também a possibilidade de antecipação desses créditos, que poderiam ser abatidos de outros impostos.

 

A Secretaria da Fazenda divulgou uma nota sobre o assunto na quarta-feira, 23, para garantir que manterá tratamento igualitário a todas as empresas do setor. Em São Paulo são 27 fábricas instaladas, incluídas aí as fabricantes de máquinas agrícolas e rodoviárias. Segundo o comunicado da secretaria o governo paulista “avalia a viabilidade da antecipação de crédito de ICMS para a empresa [GM]”, mas para isso precisara buscar alternativa para compensar a perda de receita.

 

“Portanto, só seria dada qualquer antecipação de crédito de ICMS a General Motors ou qualquer outra empresa desde que exista receita compensatória. No momento não existem receitas compensatórias já identificadas”, diz a nota.

 

Foto: Divulgação.