Sindicato quer discutir a situação em Dearborn

Imagem ilustrativa da notícia: Sindicato quer discutir a situação em Dearborn
CompartilheMontadora
21/02/2019

São Paulo – O pleito do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC foi atendido e seus representantes serão recebidos pela diretoria da Ford em Dearborn, MI, para discutir a situação da fábrica de São Bernardo do Campo, SP, cujo fechamento foi anunciado pela Ford América do Sul na terça-feira, 19. Em nota, a entidade afirmou ter recebido a confirmação para a reunião com a matriz, solicitada na manhã de terça-feira, 21, e agora acertarão as datas para o encontro.

 

“Entendemos que essa decisão é da matriz da Ford e, portanto, é lá que deveremos negociar”, afirmou, em vídeo divulgado no site da entidade, o presidente do sindicato, Wagner Santana, o Wagnão. “Encaminhamos um pedido oficial à Ford de que nós queremos discutir na matriz o destino dessa fábrica”.

 

A Ford, porém, por meio de sua assessoria de imprensa, afirmou não ter sido informada oficialmente sobre qualquer pedido neste sentido.

 

Os cerca de 1,6 mil metalúrgicos da fábrica do Taboão estão de braços cruzados até a terça-feira, 26, quando está marcada uma assembleia com todos os funcionários para decidir os próximos passos. Wagnão, porém, admite que as negociações com a diretoria da América do Sul não devem avançar. Mesmo assim não jogou a toalha: seguirão conversando, mas em Dearborn.

 

O sindicato ficou de fora da reunião com o governador de São Paulo, João Dória, no Palácio dos Bandeirantes, na manhã da quinta-feira, 21. No vídeo, o presidente contou porque não compareceu: “Solicitamos a participação na reunião, mas recebemos como resposta do gabinete do governador que ele não queria a presença de sindicatos”.

 

Além do governador participaram da conversa o presidente da Ford para a América do Sul, Lyle Watters, seu vice-presidente de assuntos governamentais, comunicação e estratégia, Rogelio Golfarb, o secretário da Fazenda e Planejamento do Estado, Henrique Meirelles, e o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, e o vice-governador Rodrigo Garcia.

 

Na entrevista coletiva logo após a reunião o governador disse que “o sindicato será ouvido em momento oportuno e as decisões sobre a Ford serão tomadas em conjunto”.

 

Colaborou Bruno de Oliveira

 

Foto: Divulgação.