General Motors expande Gravataí para o Onix GEM

Imagem ilustrativa da notícia: General Motors expande Gravataí para o Onix GEM
Foto Jornalista  Bruno de Oliveira

Por Bruno de Oliveira

CompartilheEmpresa
27/11/2019

Gravataí, RS – A General Motors abriu na quarta-feira, 27, as portas de uma renovada fábrica em Gravataí, RS. Público formado por autoridades, clientes e imprensa pode conhecer de perto o resultado do R$ 1,4 bilhão em investimento na unidade – que completou dezenove anos – para a produção da nova geração do Onix e Onix Plus, montada sobre a plataforma GEM, sigla para Global Emergent Markets. O valor foi aplicado em expansão e aquisição de novos equipamentos.

 

A área construída da fábrica saltou de 154 mil m² para 161 mil m². Houve ali duplicação das áreas de soldagem e de pintura, uma vez que a produção por hora das linhas saltou de 63 unidades para 66 unidades. A área de ferramentaria também passou por expansão, assim como a de funilaria, onde foram instalados quatrocentos robôs, chegando a 725 unidades na seção.

 

Este foi o terceiro processo de expansão de Gravataí: o primeiro ocorreu em 2006 com a chegada do Chevrolet Prisma, versão sedã do Celta, primeiro modelo ali produzido. À época, saíam das linhas, por hora, quarenta unidades, dez a mais do que em 2000, na sua inauguração. A segunda expansão foi realizada em 2012 para a chegada do Onix.

 

Afora a expansão de áreas existentes da unidade, a GM decidiu desta vez construir uma área de injeção de polímeros, onde são moldados os para-choques do Onix. Segundo Marcos Munhoz, vice-presidente para a América do Sul, a decisão de passar a produzir o componente que antes era fornecido pela Pelzer desde São Paulo tem razões logísticas:

 

"Optamos por produzir nós mesmos o componente porque o custo logístico para trazê-lo de São Paulo ficou maior. O fornecedor segue conosco mas no fornecimento de outros componentes plásticos".

 

Com a medida, a unidade adota procedimento que já ocorria na unidade de São Caetano do Sul, SP, para onde foi a linha de produção do velho-novo Joy, da antiga carroceria do Onix, e também do Joy Plus, antigo Prisma.

 

Com o aumento de tamanho estrutural e produção em três turnos, a fábrica teve de recorrer às contratações. Quinhentos funcionários passaram a integrar o quadro da unidade, totalizando cinco mil trabalhadores. Nas empresas sistemistas instaladas no CIAG, o Condomínio Industrial Automotivo de Gravataí, as novas contratações chegaram a 1,5 mil.

 

Imagem ilustrativa da notícia: General Motors expande Gravataí para o Onix GEM

 

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos local, os quinhentos funcionários adicionais pertenciam ao quadro de trabalhadores temporários que atuavam nas linhas da geração anterior do Onix e do Prisma.

 

São quinze as empresas sistemistas instaladas dentro do CIAG para tornar mais ágil a entrega de partes e peças para a produção do Onix, muitas delas, como é o caso de Reydel, Yapp e SL Automotive, com a instalação no local antecipada por Agência AutoData.

 

A expansão, contratação e aquisição de novos robôs que inseriram as linhas de Gravataí no contexto da Indústria 4.0 tornaram-se viáveis, segundo o governador Eduardo Leite, por meio de incentivos concedidos pelo Estado: "A nova política do Estado do Rio Grande do Sul é a de facilitar a chegada de novos investimentos e criar ambiente para isso", disse sob fortes aplausos de parte dos presentes abrigados sob tenda armada dentro do CIAG.

 

À reportagem, o governador disse que os incentivos concedidos à GM fazem parte do programa estadual Procam, o qual envolve desoneração fiscal, concessão de carência de ICMS e, em alguns casos, terreno e obras de infraestrutura.

 

Foto: Divulgação.