O vírus que parou a indústria automotiva

Imagem ilustrativa da notícia: O vírus que parou a indústria automotiva
Foto Jornalista  André Barros

Por André Barros

CompartilheCovid-19
20/03/2020

São Paulo – A Hyundai fechou a fábrica de Piracicaba, SP, na sexta-feira, 20. Um funcionário com suspeita de Covid-19 fez com que a empresa adotasse a medida, ainda preventiva, para higienizar e desinfetar as áreas da unidade – o trabalhador, da área de suporte à produção, está em casa e até a tarde desta sexta-feira aguardava o resultado dos exames. A expectativa é a de retomar a produção na terça-feira, 24, mas a companhia não descarta antecipar férias coletivas, a exemplo do que tem feito algumas fabricantes.

 

Só na sexta-feira confirmaram parada na produção a BMW, em Araquari, SC, a FCA, em Betim, MG, Campo Largo, PR, e Goiana, PE, a Honda, em Itirapina e Sumaré, SP, a PSA, em Porto Real, RJ, a Renault, em São José dos Pinhais, PR, a Toyota, em Indaiatuba, Porto Feliz, São Bernardo do Campo e Sorocaba, SP, e a Volkswagen Caminhões e Ônibus, em Resende, RJ.

 

Juntam-se a Ford, General Motors, Mercedes-Benz, Scania, Volkswagen e Volvo, que já haviam confirmado paralisações durante a semana. Segundo apurou a reportagem da Agência AutoData, BYD, DAF e Nissan seguem com operação normal e a HPE com as linhas de Catalão, GO, operando, mas o escritório em São Paulo fechado. A Caoa Montadora, a Iveco e a Jaguar Land Rover não responderam o questionamento.

 

O efeito da pandemia de coronavírus já reflete nas projeções do governo. Na sexta-feira o ministério da Economia reduziu a projeção do crescimento do PIB de 2,1% para 0,02% - estagnação, na prática. O presidente Jair Bolsonaro reuniu-se, por meio de videoconferência, com alguns representantes do setor produtivo nacional e prometeu medidas para tentar atenuar a crise econômica.

 

A parada na BMW, com férias coletivas aos trabalhadores, será de 30 de março a 22 de abril. A FCA começa a parar gradualmente na semana que vem e interrompe a produção das suas três unidades e qualquer outra atividade – lançamentos, cursos, apresentações, etc – de 27 de março a 21 de abril.

 

Na Honda, Sumaré e Itirapina param de 25 de março a 14 de abril, podendo estender-se até 27 de abril. Diz a nota: “A retomada da produção dependerá das orientações dos governos federal e estadual, das condições de segurança dos colaboradores e dos impactos da pandemia no mercado de automóveis”.

 

Do mesmo modo condicionou o retorno às operações a PSA: a parada está confirmada, inicialmente, de 23 de março a 21 de abril, mas “a produção será então reiniciada dependendo da futura situação no País”. A Renault suspenderá as atividades fabris no complexo Ayrton Senna de 25 de março a 14 de abril.

 

A Toyota fechará suas quatro fábricas de 24 de março a 6 de abril e a Volkswagen Caminhões e Ônibus de 30 de março a 20 de abril, mas já cortou as horas extras e o expediente aos sábados, “mantendo a operação em níveis mínimos para abastecer concessionários e importadores”.

 

As operações de motocicletas da BMW e Honda em Manaus, AM, seguem normal por ora. Alguns fornecedores, como Pirelli e Tupy, também anunciaram também paradas, bem como a Marcopolo e a Randon.

 

Colaboraram Bruno de Oliveira e Caio Bednarski

 

Foto: Divulgação.