Itaú: economia crescerá, mas em ritmo lento.

Imagem ilustrativa da notícia: Itaú: economia crescerá, mas em ritmo lento.
CompartilheCongresso AutoData 2019
16/10/2018

São Paulo – A economia não apresentará crescimento expressivo em 2019 de acordo com Fernando Machado Gonçalves, economista do Itaú, pois o ritmo atual é fraco e não sugere que haverá uma grande recuperação nos próximos meses, ainda mais com as incertezas políticas que envolvem o futuro do País.

 

“Tantas dúvidas sobre o futuro político trazem impactos na economia e isso se soma à confiança do consumidor em baixa, assim como a condição financeira apertada da população”, disse Gonçalves durante palestra no segundo dia do Congresso AutoData Perspectivas 2019, a terça-feira, 16, em São Paulo, Capital.

 

A projeção do banco para o crescimento do PIB em 2019 é de 2%, ante 1,3% este ano. A expectativa do Itaú é que o próximo governo faça as reformas necessárias para o desenvolvimento da economia, começando com a previdência. “Independente de quem vencer a eleição o congresso que foi formado parece ser mais reformista, o que aumenta as chances destes movimentos acontecerem.”

 

Com relação à taxa de desemprego o economista acredita que haverá uma leve queda no ano que vem, para 12,1% contra 12,3% deste ano. A taxa Selic deve subir para 8% em 2019 e encerrará esse ano em 6,5%, de acordo com as previsões do economista, enquanto o IPCA ficará em 4,3% ante 4,5% de 2018. A expectativa para o dólar é de taxa em torno de R$ 3,90 em 2019, mesmo patamar do encerramento deste ano.

 

Foto: Rafael Cusato.