Mercado de caminhões seguirá crescendo

Imagem ilustrativa da notícia: Mercado de caminhões seguirá crescendo
CompartilheCongresso AutoData 2019
15/10/2018

São Paulo – O cenário para o mercado de caminhões em 2019 foi discutido em um dos painéis do primeiro dia do Congresso AutoData Perspectivas 2019, que aconteceu na segunda-feira, 15, em São Paulo, Capital. Um dos participantes foi Ricardo Barion, diretor de vendas e marketing da Iveco, que estimou crescimento em torno de 10% para o segmanto no ano que vem: “Estamos otimistas. Esta alta poderá ser ainda maior, dependendo das decisões que o futuro presidente tomar”.

 

Barion também ressaltou que o setor precisa aumentar a rentabilidade dos negócios e que, além dos extrapesados, os leves e médios devem voltar a crescer, puxados por uma renovação de frota que se faz necessária.

 

Bernardo Fedalto, diretor de vendas de caminhões da Volvo, também participou do painel e disse que para o ano que vem, considerando apenas os segmentos pesados e semipesados, nos quais a Volvo atua, a projeção de alta é de 20%. Mas há algumas ressalvas, alertou: “A economia precisa continuar, basicamente, no caminho que está hoje, sem grandes mudanças. Se isso não ocorrer a projeção pode cair de 20% para zero, dependendo das decisões que o próximo governo tomar”.

 

Já o diretor comercial da Scania do Brasil, Sílvio Munhoz, também no painel, apostou em elevação de 10% a 20% para o ano que vem, puxada pela produção agrícola, que garantirá o transporte de cargas por pesados, e pelo maior consumo das famílias, que deve acontecer se a inflação estiver controlada e a taxa de juros baixa.

 

Também participante do painel, João Pimentel, diretor geral da Ford Caminhões, não revelou projeções da companhia para o ano que vem, mas disse que o mercado deve seguir na rota do crescimento. Porém, ponderou, a rentabilidade dos negócios ainda é muito baixa e precisará crescer junto com o mercado. Para suportar a alta no ano que vem uma das estratégias da empresa será oferecer um número cada vez maior de versões com câmbio automatizado, revelou.

 

O diretor da Iveco, por sua vez, anunciou que ano que vem a empresa terá um novo modelo no segmento pesado, fruto de investimento total de US$ 120 milhões em produtos anunciado no ano passado. “Durante o período de crise também fizemos investimento local para readequar a nossa produção e a rede de concessionárias, na qual 90% passou por mudanças”.

 

A Volvo não divulgou qual será sua estratégia para suportar o crescimento de 2019, mas Fedalto disse que a empresa pretender continuar no pelotão dos líderes de mercado nos sementos em que atua.

 

Para o ano que vem a Scania aposta em sua nova geração de caminhões, que chega ao mercado com 19 opções de cabine e cinco de motores: “São mais de quinhentas combinações e, com isso, conseguiremos entregar exatamente o que o cliente espera”. A companhia investiu R$ 2,6 bilhões nos últimos anos em construção de novas áreas fabris de solda e de cabine e ainda no desenvolvimento de novos fornecedores e rede.

 

Fotos: Rafael Cusato.